Inquérito foi aberto

Desabamento em supermercado do Litoral: delegado ouve envolvidos em tragédia com três mortes

Foto: Corpo de Bombeiros

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) abriu inquérito para entender os motivos que levaram ao desabamento de parte da estrutura do teto do supermercado Super Rede Atacadista, na última sexta-feira (22), que acabou matando três mulheres, e ferindo outras doze pessoas, em Pontal do Paraná, no Litoral do estado.

LEIA MAIS – Vítimas de acidente em supermercado no Litoral são enterradas

Na investigação, os policiais irão ouvir funcionários, responsáveis pela construção do supermercado, e irão pedir a planta técnica para se fazer uma análise do projeto. O desabamento provocou a queda de caixas d’água que estavam sobre a laje.

VIU ESSA? Subemprego? Rotatividade de vagas em supermercados de Curitiba revela calo no setor

“Iremos ouvir o supervisor para termos um norte de quem fez o projeto de engenharia e quem executou. Os órgãos oficiais como prefeitura, Crea, Corpo de Bombeiros serão oficiados. Os responsáveis pela obra, dono do mercado, engenheiro e testemunhas serão ouvidas para saber se teve alguma negligência na obra. A princípio, o inquérito foi instalado com três homicídios culposos e 12 lesões corporais culposas”, disse o delegado Jader Roberto Ferreira Filho, para a RPC.

No sábado ( 23), o Corpo de Bombeiros informou que o supermercado da Super Rede Atacadista, inaugurado na sexta-feira (22), não tinha alvará. No entanto, comunicou, por nota, que a aprovação do projeto não teria evitado o acidente, já que a corporação avalia os elementos de prevenção contra incêndio e pânico. “Já a parte estrutural da edificação é de responsabilidade dos engenheiros que elaboram o projeto estrutural e acompanham a execução da obra”, completou o Corpo de Bombeiros.

As três vítimas – Rayssa Batista Santos, de 18 anos, Pryscilla Maris Taschek Farro, 36 anos e Camille Vitória de Souza Dias, de 19 anos, foram sepultadas no fim de semana. Duas outras pessoas foram encaminhadas em estado grave para hospitais de Pontal do Paraná e Paranaguá, e 10 vítimas sofreram ferimentos leves.

E aí, prefeitura?

Em nota, a prefeitura de Pontal do Paraná explicou que sobre a autorização de funcionamento, a empresa protocolizou pedido de alvará no dia 09/11/2023. O departamento competente solicitou toda documentação e após tramitações internas, e por ter sido divulgada a abertura do empreendimento para a sexta-feira (22/03), a fiscalização do município compareceu ao local em 21/03/2024, concedendo o prazo legal de dez dias para que fossem providenciados documentos faltantes.

A prefeitura destacou ainda que, pela Legislação, o empreendimento é tido como de médio risco, o que permite a concessão de prazos para providenciar a documentação. Somente em caso de não atendimento, é que o Município poderia autuar a empresa, ressaltando que é de responsabilidade do contribuinte apresentar a documentação exigida.

No âmbito da Vigilância em Saúde, durante a construção, o empreendimento foi notificado para se adequar às normas de segurança no trabalho por duas vezes e também no dia da inauguração fez vistoria no local, contudo neste dia não encontrou irregularidades sanitárias.

Avenida importante de Curitiba vive impasse! Qual é a melhor solução?
Vote na enquete!

Avenida importante de Curitiba vive impasse! Qual é a melhor solução?

Empresário de Curitiba conquista todos com esse veículo famoso na Índia
Amarelo simpático!

Empresário de Curitiba conquista todos com esse veículo famoso na Índia

Rapazes têm dia digno de
VÍDEO

Rapazes têm dia digno de “Superhomem” em Curitiba; O que eles fizeram foi INCRÍVEL!!!

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.