O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, disse nesta terça-feira (29) que a empresa vai acabar com todas as barragens construídas no mesmo modelo das que estouraram em Mariana e Brumadinho (MG). O modelo “a montante” (erguido por meio de degraus, que ficam sobre os rejeitos de minério) é a forma mais barata de construção.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Será necessário parar imediatamente as atividades nas minas que ainda têm barragens desse tipo, segundo a empresa, e o processo de desativação demorará de um a três anos, dependendo do caso. Existem outras dez barragens a montante e, segundo a Vale, todas estavam inativas e estão em Minas Gerais.

Segundo Schvartsman, a empresa investirá R$ 5 bilhões e já espera ter forte impacto financeiro. “Os projetos estão prontos e serão enviados aos órgãos responsáveis nos próximos 45 dias e após a concessão das licenças ambientes iniciaremos imediatamente o processo para que todas sejam descomissionadas”, afirmou o presidente da Vale à Folha de São Paulo. “É um esforço inédito de uma empresa de mineração no sentido de dar resposta cabal à altura da enorme tragédia que tivemos em Brumadinho”, acrescentou.

Existem dois tipos de barragem a montante: a jusante e por linha de centro. A primeira cresce na direção da corrente dos resíduos, formando uma espécie de pirâmide que segurar a lama. Os alteamentos não são erguidos sobre resíduos, mas a partir do dique de partida. O método pode ser até três vezes mais caro do que aquele a montante, e ocupa mais espaço.

Já a barragem por linha de centro é uma espécie de combinação dos dois tipos. Os degraus são erguidos uns por cima dos outros, seguindo uma linha de centro vertical. Alguns ficam acima dos resíduos, outros sobre o dique de partida.

Mortes

A Defesa Civil de Minas Gerais atualizou na noite desta terça os números de vítimas do desastre. O órgão informou que são 84 mortes confirmadas e 276 pessoas desaparecidas após o rompimento da barragem  na região metropolitana de Belo Horizonte, na última sexta. 42 vítimas já foram identificadas

Três vítimas fatais foram retiradas de ônibus encontrado e duas que estavam no refeitório da Vale, onde muitos funcionários almoçavam no dia da tragédia. Segundo o porta-voz dos bombeiros, tenente Pedro Aihara, essa indicação é muito significativa para a continuidade das buscas.

Fake news

O tenente Aihara volta a alertar para notícias falsas que estão circulando na região. Não é necessária a vacinação da população em razão do contato com a lama, afirma. Apenas integrantes da equipe de buscas, devido ao contato prolongado com o material dos rejeitos, devem receber profilaxia especial.

Leia mais sobre a tragédia em Brumadinho:

Sexta (25)

Assista o vídeo com as primeiras imagens da tragédia e o trabalho dos Bombeiros

Vale divulga lista com desaparecidos; Familiares fazem buscas por conta própria

Sábado (26)

Bolsonaro após sobrevoar Brumadinho: “Difícil ficar diante desse cenário e não se emocionar”

Domingo (27)

Corpo de Bombeiros dá alerta de evacuação para 4 zonas de risco

Com risco de romper, barragem 6 da Vale tem até 4 mi/m3 de capacidade

Secretário de Guedes pede ajuda de startups para Brumadinho

Agência detectou 54 barragens no Brasil de água com problemas de infraestrutura

Israel diz que delegação de 130 homens e mulheres está a caminho de Brumadinho

Depois de sobrevoar Brumadinho, Bolsonaro se interna para retirar bolsa de colostomia

Segunda-feira (28)

‘Tenho de dar graças a Deus de conseguir enterrar o corpo, diz mulher de vítima

Justiça trabalhista em MG determina bloqueio de R$ 800 milhões da Vale

Caso de Brumadinho pode se tornar o pior acidente de trabalho do País. Já são 60 mortos!

Militares de Israel vão usar detectores de calor

No 4º dia de buscas, 280 bombeiros atuam em Brumadinho

Pedágio cobra Bombeiros a caminho de brumadinho na Grande Curitiba

Terça-feira (29)

Vale diz que está colaborando com autoridades

‘Se os culpados não forem punidos, tudo recomeçará’, diz especialista

PF prende cinco por rompimento de barragem de Brumadinho

Animais presos no barro há cinco dias em Brumadinho, são sacrificados a tiros

Ministro anuncia acordo com pedágios após Bombeiros serem cobrados na Grande Curitiba

Governo do PR promete entregar em dois anos o diagnóstico das cerca de 500 barragens do estado

Animais presos no barro há cinco dias em Brumadinho, são sacrificados a tiros