Você compraria?

Carne de laboratório: Deputado do Paraná quer proibir a produção no Brasil

Foto ilustrativa: AdobeStock

Com um investimento que já chega a US$ 2,8 bilhões e a participação de 156 empresas mundo afora, a carne cultivada em laboratório, considerada o “alimento do futuro”, é obtida por multiplicação celular e não envolve animais abatidos. Para o deputado federal Tião Medeiros (PP-PR), apesar da aparência inovadora e tecnológica, a proteína cultivada surge como uma ameaça aos países com grandes rebanhos, como o Brasil.

VIU ESSA? Novo clube de Curitiba com surf em piscina de ondas já tem 70% dos títulos vendidos

O alerta de Medeiros, presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, se estende, ainda, ao sucesso retumbante da pecuária, tida como um dos pilares econômicos do país: é responsável por 2% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Por consequência, o mercado de carne cultivada em laboratório pode afetar os empregos, exportações e arrecadação de tributos.

“A carne cultivada em laboratório tem sido saudada como a próxima grande revolução alimentar. Mas em países com grandes rebanhos, como o Brasil, essa ‘revolução’ pode ser mais uma ameaça do que uma oportunidade. A carne cultivada, sendo altamente automatizada, oferece muito menos oportunidades de emprego, especialmente para aqueles em comunidades rurais”, destacou o parlamentar.

LEIA MAIS – O Torto sob nova direção? Cartaz no bar de Curitiba chama atenção

Medeiros aponta para outras preocupações: consequências para a saúde humana e efeitos ao meio ambiente. Segundo ele, a carne cultivada pode conter hormônios, aditivos e outros componentes que ainda não foram totalmente estudados. “Quanto à saúde humana, ainda há muitas incógnitas sobre os efeitos a longo prazo do consumo de carne cultivada. Embora promovida como uma alternativa, o risco para a saúde pública é real e não deve ser ignorado”, destacou o deputado.

Projeto de Lei 4.616/2023

Diante das incertezas, Tião Medeiros apresentou o projeto de lei 4.616/2023 que proíbe no país a pesquisa privada, a produção e a comercialização de carne animal (bovina, suína, aves, entre outros), cultivada em laboratório. De acordo com o texto da proposta, as empresas que violarem a lei teriam que pagar multas entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhões, além de terem todos os produtos, maquinários, amostras e materiais genéticos de pesquisa destruídos.

LEIA TAMBÉM – Horta do Jacu é a nova plantação comunitária de Curitiba; Onde fica e o que tem lá!

“A produção de carne cultivada é altamente centralizada e dependente de tecnologia avançada, tornando os países dependentes de um pequeno número de grandes empresas. Isso coloca em risco a segurança alimentar e a independência de nações inteiras”, explicou.

Embrapa segue com as pesquisas sobre carne de laboratório

Apesar da proposição do deputado Tião Medeiros, o Brasil tem levado adiante a pesquisa, inclusive pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que trabalha no desenvolvimento de um frango cultivado em laboratório.

A JBS, por exemplo, uma das empresas mais emblemáticas do ramo, já investiu mais de US$ 100 milhões no desenvolvimento de proteína cultivada. Inclusive com a criação de um centro de pesquisa em Florianópolis (SC), com investimento de US$ 22 milhões apenas na unidade no Sul do país.

Mesmo com os investimentos e pesquisas, Tião Medeiros reforça que a carne do futuro ainda possui dúvidas que geram preocupação sobre a segurança e o impacto ambiental. Na opinião do parlamentar, não se pode ignorar que o que foi descoberto, até agora, não é o suficiente para validar o novo tipo de proteína.

“A carne cultivada ainda não foi submetida ao mesmo rigoroso escrutínio e regulamentação que a carne convencional. Além disso, não podemos ignorar o impacto ambiental. Embora seja, frequentemente, promovida como uma alternativa mais “verde”, ainda está fora de conhecimento seu verdadeiro impacto ambiental. Alguns estudos sugerem que a produção de carne cultivada pode ser ainda mais prejudicial ao meio ambiente do que a pecuária tradicional”, completou o deputado.

Bruno Mars em Curitiba! E não será apenas um show! Preços e ingressos!
Ô Yeah yeahhhh!

Bruno Mars em Curitiba! E não será apenas um show! Preços e ingressos!

Por que a gasolina em Curitiba é mais cara que o resto do Paraná??
Respondido!

Por que a gasolina em Curitiba é mais cara que o resto do Paraná??

Curitibano foi longe demais?? Você provaria esse crepes de pinhão?
Inusitado!

Curitibano foi longe demais?? Você provaria esse crepes de pinhão?

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.