Uma fuga quase cinematográfica de dois detentos da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP I), em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, mobiliza as forças policiais desde a manhã deste domingo (21). Durante a madrugada, Marcelo Roberto da Silveira e Valacir de Alencar usaram lençóis amarrados para escalar o muro da PEP I e escapar da prisão.

A ação foi descoberta por um policial militar, por volta das 8h, quando as luzes do muro da décima guarita estavam para ser desligadas. Marcelo da Silveira é um dos seis condenados no caso da morte do agente de Polícia Federal Edson Martins Matsunaga, em outubro de 2010, dentro de uma lotérica na Alameda Dr. Muricy, em Curitiba.

+Leia também: Festa regada a drogas e bebidas termina em morte na região de Curitiba

Presos utilizara, lençóis amarrados para conseguir sair do presídio. Foto: Colaboração
Presos utilizara, lençóis amarrados para conseguir sair do presídio. Foto: Colaboração

O Departamento Penitenciário (Depen) confirmou a fuga dos dois e informou que as forças policiais fazem buscas em Piraquara e região desde a manhã deste domingo. Em nota, o Depen também informou que um procedimento administrativo será aberto para apurar o caso.

Em 2011, Marcelo Roberto da Silveira, também conhecido como “Nervosão” ou “Delas Manchas”, foi condenado a 21 anos e sete meses de prisão pelo caso da lotérica. Na época, ele já era condenado por roubo e pela morte de um agente penitenciário em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba.

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre futebolentretenimentohoróscopo, blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!

Já o detento Valacir de Alencar estaria envolvido com uma das fugas da prisão do irmão Iago Gonçalves, condenado pela morte do morte do policial civil Marcos Gogola, em Campo Largo. O caso Gogola causou comoção na cidade na época. Iago Gonçalves cumpria pena na PEP I, mas fugiu ao trocar de roupa com Valacir durante o horário de visitas, em dezembro de 2015, saindo pela porta da frente da instituição prisional.

Até a metade desta tarde, durante o fechamento da matéria, a dupla não havia sido recapturada.

Bope apreende R$ 3 bilhões em cocaína no Litoral do Paraná