Investigando os constantes ataques aos shoppings e estabelecimentos fechados, policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) chegaram a um empresário com vários aparelhos roubados. O homem, de 38 anos, foi preso com cinco celulares de alto valor levados de dois shoppings em Curitiba.

Conforme apurou a Tribuna do Paraná, os celulares eram vendidos por um preço bem menor do que o do mercado. “Alguns aparelhos eram vendidos por R$ 1500, mas na verdade custavam quase R$ 5 mil”, explicou o delegado Marcelo Magalhães.

O homem foi preso no bairro Cajuru, em Curitiba. Segundo as investigações, ele era um empresário que comprava os aparelhos dos assaltantes e vendia não só na loja que mantinha, mas também pela internet. “Na casa deste empresário, além dos celulares, encontramos ainda munições de calibre restrito e permitido”, contou Marcelo Magalhães.

O Cope investiga ainda uma possível participação de vigilantes nas ações dos shoppings, isso porque o homem preso tinha documentação para atuar nessa função. “Nós vamos apurar isso agora, pra saber se ele não pode ter trabalhado em algum shopping também. Mas por enquanto, o que temos é somente o que já foi dito”, explicou o delegado.

Detalhes das ações

As duas ações em que os bandidos levaram os aparelhos aconteceram no começo de abril. O primeiro assalto aconteceu na noite do primeiro dia do mês, na loja do Shopping Mueller, no bairro Centro Cívico. Nessa ação, três homens armados invadiram o estabelecimento, levando diversos celulares.

O outro assalto foi na noite do dia 4 de abril, na loja do Shopping Crystal, no Batel. Quatro homens armados deram voz de assalto, levando, além de celulares, vários outros aparelhos eletrônicos.

Foco na receptação

Os aparelhos foram roubados de lojas de eletrônicos de dois shoppings de Curitiba. Foto: Pedro Serapio.
Os aparelhos foram roubados de lojas de eletrônicos de dois shoppings de Curitiba. Foto: Pedro Serapio.

Conforme a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp-PR), além destes dois assaltos, pelo menos outros dois estão sendo investigados. O trabalho de investigação sobre os assaltos em específico seguem pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba.

Para o secretário, da mesma forma que já comentou à Tribuna do Paraná o delegado Emmanoel David, da DFR, as escolhas dos bandidos são sazonais. “Já tivemos épocas em que a preferência eram outros tipos de lojas, depois foram as farmácias e agora chegaram aos shoppings. Os bandidos escolhem pela facilidade que têm de escapar mais rápido”, considerou Wagner Mesquita.

O secretário confirmou que a intenção não é só prender os autores dos roubos, a maioria deles adolescentes. “Mas também pegar firme contra os receptadores. Porque eles são responsáveis por alimentar estes crimes”, defendeu.

Na reunião que está marcada para a tarde desta sexta-feira com representantes de 10 shoppings de Curitiba e as forças da segurança, o secretário quer pedir maior envolvimento dos estabelecimentos. O foco será aumentar o monitoramento e integrar ao trabalho que já vem sendo feito pela Sesp.