Os 54 deputados estaduais do Paraná gastaram um total de R$ 7,7 milhões de verbas de gabinete nos seis primeiros meses legislativos de 2019 (fevereiro a julho). Os parlamentares utilizaram R$ 2,7 milhões dessa verba para locação de veículos e aquisição de combustível, as duas principais categorias de despesas.

O uso desse recurso, destinado a gastos com o exercício dos mandatos, não interfere nos vencimentos básicos dos deputados, desde 2015 em R$ 25,3 mil. Nesta semana, em audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Luiz Carlos Martins (PP) destacou o fato de a remuneração não ter reajuste há quatro anos, o que implicaria em um achatamento do salário.

Independentemente do salário, cada deputado estadual tem direito a pedir ressarcimento de despesas do mandato no valor de até R$ 31,4 mil por mês. Caso a verba não seja totalmente utilizada no mês, a sobra acumula para o mês seguinte. O valor não inclui gastos com funcionários, uma vez que os parlamentares têm direito ainda a R$ 96,5 mil mensais para pagar até 23 comissionados.

Quais foram os principais gastos

Entre todos os parlamentares, até julho, o maior volume de recursos (R$ 1,6 milhão) foi destinado à locação de veículos. Combustíveis custaram R$ 1,1 milhão. Na sequência, aparecem despesas com serviços técnicos profissionais (R$ 898,9 mil).

Gastos com divulgação da atividade parlamentar somaram R$ 721,6 mil. Gráficas receberam R$ 512,4 mil das verbas dos deputados. Outras despesas relevantes incluem internet e tevê a cabo (R$ 481 mil), locação de imóveis (R$ 414 mil), passagens (R$ 288,2 mil) e fornecimento de alimentação (R$ 217,5 mil).

No caso de Martins, as maiores despesas com verba de gabinete foram destinadas a serviços técnicos (R$ 102 mil) – R$ 15 mil por mês foram pagos ao escritório de advocacia Morbis e Ozório Advogados. Gastos com transportes, incluindo locação de veículos e combustíveis, somaram R$ 46,6 mil. Outros R$ 29,7 mil foram utilizados em despesas com assinaturas de periódicos, tevê a cabo ou similares, hospedagem e manutenção de sites da internet e afins, além de insumos e serviços de informática.

O deputado do PP foi o 12º que mais gastou, somando um total de R$ 178,7 mil em despesas.

Deputados que mais gastaram e que mais economizaram

Nesses primeiros meses da atual legislatura, o parlamentar que mais gastou foi Ricardo Arruda (PSL), que consumiu R$ 220,2 mil da verba a que tem direito. Em seguida aparecem Cobra Repórter (PSD), com R$ 207,7 mil, e Paulo Litro (PSDB), com R$ 189 mil.

No outro extremo, os deputados que menos gastaram foram Luiz F. Guerra (PSL), Elio Rusch (DEM) e Mabel Canto (PSC), que pediram ressarcimentos de R$ 34,3 mil, R$ 53,9 mil e R$ 59,3 mil, respectivamente.info-alep-gasto

 

Já pensou em não pagar passagem de ônibus em Curitiba para sempre? Entenda!