O homem que matou, assou, comeu e serviu a vizinhos carne de cachorro no bairro Alto Boqueirão, em Curitiba, foi preso na noite de quinta-feira (6) pela Polícia Civil. Ao ser abordado, o rapaz de 19 anos tentou subornar os policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA). Agora, além de maus-tratos ele tb vai responder por corrupção. Ele já tem passagens na polícia por lesão corporal e violação de domicílio e teria problema com drogas.

A carne do animal foi encontrada na quinta-feira de manhã no forno da casa do suspeito. Os investigadores da DPMA foram ao endereço após denúncia anônima de o homem estava oferecendo carne de cachorro para consumo aos vizinhos.
Na residência, os policiais encontraram marcas de sangue na escada que dá acesso ao imóvel. Ao sentir um cheiro forte, os policiais foram conferir o forno e encontraram o animal assado em uma fôrma. Um periquito morto também foi encontrado no endereço.

LEIA MAIS – Liminar libera bares em Curitiba, mas apenas como restaurante e lanchonete

De acordo com o delegado Matheus Loiola, a frieza do rapaz ao ser preso chamou a atenção dos policiais. “Ele nos perguntou ainda se tinha como ele matar e comer os gansos que tinham na delegacia [a DPMA fica no Parque Barreirinha]. No caminho, ele começou a se insinuar policiais e a oferecer dinheiro para não ficar preso”, disse o delegado.

Já na DPMA, os policiais instalaram uma câmera escondida que gravou o suspeito oferendo suborno ao próprio delegado. “Imediatamente dei voz de prisão a ele por corrupção”, finalizou o delegado.

Essa semana outro caso de maus-tratos animais assustou Curitiba. A DPMA investiga a suspeita de envenenamento de cães no Parcão, a área nos fundos do Museu do Olho no Centro Cívico onde várias pessoas levam seus pets para passear. Duas cadelas teriam sido intoxicadas e precisaram de atendimento veterinário.

Rinha com carne de cachorro

Essa não é a primeira vez que a DPMA investiga um caso de consumo de carne de cachorro. Em dezembro de 2019, a DPMA descobriu uma rinha de cachorros na cidade de Mairiporã, na grande São Paulo, a partir da investigação de um criador de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

VEJA MAIS – Coronavírus já tirou a vida de 2,2 mil pessoas no Paraná

Com o apoio da polícia paulista, a chácara onde havia a rinha foi desbaratado e os investigadores encontraram carne de cachorro sendo assada na churrasqueira. De acordo com a investigação, os animais que morriam lutando no ringue eram assados e a carne oferecida aos apostadores das brigas.

Mais detalhes a seguir


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?