Cerca de um mês após o grupo de vereadores vistoriar as condições de viadutos e pontes de Curitiba, o prefeito Rafael Greca (DEM) determinou uma nova vistoria em 63 estruturas viárias mais antigas da capital. O objetivo destas perícias, que terão um valor de R$ 5 milhões, é gerar laudos que indiquem quais pontes, viadutos ou trincheiras precisam de manutenção. A mobilização pela verificação das condições destas estruturas começou depois que parte de um viaduto desabou na CIC, em setembro do ano passado.

Entre os pontos que serão verificados nestas 63 estruturas em Curitiba estão análise de infiltração, das juntas de dilatação, dos aterros das cabeceiras e dos pilares de sustentação. “Faremos o trabalho preventivo contra o risco de desabamento por fadiga de material”, apontou o prefeito.

O pagamento de R$ 5 milhões por esta vistoria será pago meio de licitação que será elaborada pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc). O edital de contratação deve ser publicado na abertura do orçamento de 2020, que deve ocorrer ainda neste mês.

Pra evitar tragédias

Em novembro do ano passado, durante vistoria feira por vereadores, foram verificadas estruturas como a ponte do Tingui e o Viaduto do Capanema. Outra estrutura que gerou preocupação é o viaduto do Tarumã, que foi alvo de algumas denúncias que citavam rachaduras. Esta estrutura, por sinal, passará por uma grande revitalização para ser transformada em viaduto triplo. Veja o projeto.

E o viaduto do Orleans, quando sai?

Falando em melhorias para a cidade, outra estrutura que promete melhorar a vida de moradores do Orlens ainda não tem data para sair do papel. Moradores e comerciantes ouvidos pela Tribuna apontam que há anos a revitalização no Viaduto do Orleans é necessária, uma vez que os congestionamentos são constantes por ali.