Em entrevista à Rádio Eldorado nesta quarta-feira, 30, o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, disse que ainda está cedo para determinar uma data limite para o encerramento das buscas por vítimas do rompimento da Barragem 1, na última sexta-feira, 25, na Mina do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais. Já são 84 mortos confirmados.

De acordo com o tenente, o avanço na decomposição dos corpos pode fazer com que a operação de resgate seja encerrada, mas, segundo ele, ainda não é a hora. “Evidentemente chega um momento que pelo estado de decomposição dos corpos com a lama fica impossível encontrá-los, mas isso está associado a uma série de variáveis”.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Pedro Aihara também explicou que o tempo de decomposição dos corpos varia de acordo com o estado em que eles se encontram, se estão diretamente na lama ou envoltos em alguma estrutura como, por exemplo, um ônibus.

“Nesse momento, que não é agora, essa operação tem que ser analisada, se ela tem que ser encerrada. Nesse tipo de tragédia a gente não trabalha com recuperação de 100% dos corpos. Embora seja o desejo, isso é impossibilitado pelas características físicas da situação”.

Até a manhã desta quarta-feira, 30, 276 pessoas ainda estavam desaparecidas e 84 mortes foram confirmadas. Desde o último sábado, 26, um dia após a tragédia, não foi encontrada mais nenhuma pessoa com vida em meio à lama.

Pedro Aihara também afirmou que, embora seja remota a possibilidade de encontrar sobreviventes, o Corpo de Bombeiros trabalha com “esperança infinita e considerando todas as possibilidades”.

Para isso, a corporação age em conjunto com as forças militares de Israel, que chegaram a Brumadinho no domingo, 27. Segundo Aihara, as equipes estão coordenadas e o efetivo israelense concentra a sua ação na área próxima ao refeitório da Vale, onde centenas de pessoas almoçavam quando a barragem se rompeu.

Até o momento, estão envolvidos na operação 280 bombeiros, sendo 220 de Minas Gerais e o restante dos Estados do Espírito Santo, Goiás, Santa Catarina e São Paulo. O tenente também declarou que reforços de agentes, cães e apoio aéreo de outros Estados chegarão nesta quarta-feira a Brumadinho.

Equipamento israelenses

Uma polêmica deu o que falar sobre os equipamentos trazidos pelos israelenses, que estão ajudando os bombeiros de Minas Gerais na busca por desaparecidos. Surgiu a informação de que tal tecnologia não seria útil para o momento, o que foi desmentido por Pedro. “Essa é uma informação totalmente equivocada. A operação está sendo efetiva. O local que foi selecionado para que eles trabalhassem em conjunto com os Bombeiros é justamente a região onde as pessoas podem estar numa profundidade maior, exatamente o foco deste aparato tecnológico”, explicou o tenente.

Leia mais sobre a tragédia em Brumadinho:

Sexta (25)

Assista o vídeo com as primeiras imagens da tragédia e o trabalho dos Bombeiros

Vale divulga lista com desaparecidos; Familiares fazem buscas por conta própria

Sábado (26)

Bolsonaro após sobrevoar Brumadinho: “Difícil ficar diante desse cenário e não se emocionar”

Domingo (27)

Corpo de Bombeiros dá alerta de evacuação para 4 zonas de risco

Com risco de romper, barragem 6 da Vale tem até 4 mi/m3 de capacidade

Secretário de Guedes pede ajuda de startups para Brumadinho

Agência detectou 54 barragens no Brasil de água com problemas de infraestrutura

Israel diz que delegação de 130 homens e mulheres está a caminho de Brumadinho

Depois de sobrevoar Brumadinho, Bolsonaro se interna para retirar bolsa de colostomia

Segunda-feira (28)

‘Tenho de dar graças a Deus de conseguir enterrar o corpo, diz mulher de vítima

Justiça trabalhista em MG determina bloqueio de R$ 800 milhões da Vale

Caso de Brumadinho pode se tornar o pior acidente de trabalho do País

Militares de Israel vão usar detectores de calor

No 4º dia de buscas, 280 bombeiros atuam em Brumadinho

Pedágio cobra Bombeiros a caminho de brumadinho na Grande Curitiba

Terça-feira (29)

Vale diz que está colaborando com autoridades

‘Se os culpados não forem punidos, tudo recomeçará’, diz especialista

PF prende cinco por rompimento de barragem de Brumadinho

Animais presos no barro há cinco dias em Brumadinho, são sacrificados a tiros

Ministro anuncia acordo com pedágios após Bombeiros serem cobrados na Grande Curitiba

Governo do PR promete entregar em dois anos o diagnóstico das cerca de 500 barragens do estado

Quarta-feira (30)

País tem apenas 35 fiscais de barragem de mineração

Presidente da Vale diz que acabará com todas as barragens como a de Brumadinho

Vale afirma que vai aposentar barragens como a de Brumadinho