Se na questão da torcida o Coritiba vem fazendo do Couto Pereira novamente uma panela de pressão, daqui em diante o objetivo é voltar a ter o estádio como grande arma. Nos últimos anos, o Coxa tem encontrado dificuldades quando atua diante da sua torcida e isso tem pesado nas suas campanhas.
Eliminação na Copa do Brasil para ASA e Juventude, perda de título do Campeonato Paranaense, rebaixamento no Brasileirão e a permanência na Série B foram reflexos de alguns tropeços no Alto da Glória.

+ Leia também: Aos poucos, Coxa vai esvaziando o departamento médico

O primeiro passo para mudar este retrospecto recente vem sendo dado. Em 2019, a campanha do Alviverde no Couto Pereira, por exemplo, já é melhor que as dos últimos anos, mesmo com uma sequência de empates nos primeiros meses. Na atual temporada, em 12 jogos, foram cinco vitórias, seis empates e uma única derrota, no 3×2 para o Paraná Clube, justamente na última partida antes da parada para a Copa América. Neste levantamento está a vitória por 1×0 sobre o Tricolor, no Estádio do Pinhão, pelo Paranaense. Um aproveitamento de 58,3% dos pontos disputados. Um número um pouco melhor que o do ano passado, mas que já sinais de evolução.

Em 2018, o aproveitamento foi de 58%, com 13 vitórias, oito empates e seis derrotas em 27 jogos. Resultados que culminaram no meio de tabela da segunda divisão e que impediu o time de terminar no G4. Claro que se tivesse compensado com vitórias fora de casa, o retorno à elite poderia ter vindo, mas fazer valer o mando de campo não tem sido o forte do Verdão.

+ Mais na Tribuna: Coritiba melhora média de público

Um ano antes, o desempenho caiu um pouco e ficou em 56,3%, com 14 vitórias, sete empates e oito derrotas, sendo um empate em 2×2 com o Vasco, na Vila Capanema. No final do ano, o Coritiba amargou o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Inclusive, nas três últimas partidas no Couto, foram apenas quatro pontos somados, sendo que o time caiu por conta do saldo de gols apenas. O que mostra que um aproveitamento um pouco melhor em casa seria o suficiente para escapar da degola.

Ainda assim, a melhora diante da torcida atualmente, com mais 15 duelos pela frente até novembro, está abaixo de 2015 e 2016, quando conseguiu 60,2% e 63,5% respectivamente. Nas duas ocasiões, permaneceu no Brasileirão no sufoco.

Bons tempos

Porém, o desempenho está bem abaixo da melhor campanha do Coxa recente, que foi em 2011, quando o clube somou incríveis 87% dos pontos disputados. Foram nada menos do que 30 vitórias, quatro empates e somente duas derrotas. A força caseira resultou em um 100% como mandante na conquista do Campeonato Paranaense e na campanha do vice-campeonato da Copa do Brasil. Os tropeços foram apenas no Brasileirão, onde por pouco o time não terminou no G4 e abocanhou uma vaga na Libertadores.

O que mostra que quando vai bem no Couto, o Alviverde termina o ano de forma positiva, brigando por algo grande ou, no mínimo, longe de qualquer ameaça. E é isso que o torcedor espera que aconteça em novembro, comemorando a tão sonhada volta à primeira divisão.

Confira o retrospecto do Coxa em casa nos últimos anos:

2019

12 jogos
5 vitórias
6 empates
1 derrota
58,3% de aproveitamento

2018

27 jogos
13 vitórias
8 empates
6 derrotas
58% de aproveitamento

2017

29 jogos
14 vitórias
7 empates
8 derrotas
56,3% de aproveitamento

2016

32 jogos
17 vitórias
10 empates
5 derrotas
63,5% de aproveitamento

2015

31 jogos
16 vitórias
8 empates
7 derrotas
60,2% de aproveitamento

2011

36 jogos
30 vitórias
4 empates
2 derrotas
87% de aproveitamento