Em 12 jogos até aqui na temporada, o técnico Eduardo Barroca já utilizou 30 jogadores no Coritiba. No entanto, as crias da base estão sendo pouco aproveitadas. De todos os atletas que entraram em campo no Campeonato Paranaense e na Copa do Brasil, apenas oito vieram das categorias inferiores. Ou seja, 26,6% de todo o grupo usado foi formado no Alto da Glória.

Os pratas da casa são o lateral-direito Yan Couto, o lateral-esquerdo Kazu, o volante Matheus Bueno os meias Thiago Lopes e Ruy e os atacantes Nathan, Igor Jesus e Guilherme Parede. Destes, Parede até já foi embora – foi vendido para o Talleres, da Argentina.

Dos outros nomes, o que chama a atenção é que Kazu, Thiago Lopes e Ruy já saíram do clube em outras oportunidades e voltaram. O último, aliás, foi revelado pelo Coxa em uma outra geração, em 2009 mas só ganhou uma chance no time profissional em 2015, depois de rodar por Portugal e interior paranaense até retornar ao Alviverde.

+ Podcast De Letra: O efeito coronavírus no futebol

Da última leva da piazada, se encaixam Matheus Bueno e Igor Jesus, que subiram ano passado, e Yan Couto, que ganhou a primeira oportunidade em 2020, mas já está de malas prontas pro Manchester City, da Inglaterra.

Entre toda essa piazada, dois estão com mais moral com Barroca. Thiago Lopes é o único atleta do elenco que participou das 12 partidas do Coritiba no ano, enquanto Igor Jesus atuou em dez oportunidades, sendo titular em seis delas. Os outros não jogaram mais que três vezes.

+ Mais do Coxa:

+ Qual o futuro do Paranaense 2020? Clubes divergem sobre situação
+ Matheus Sales muda posição no Coritiba e vira ‘elemento surpresa’
+ Estátua de Alex ganha máscara e luvas de torcedores