Por conta da pandemia do coronavírus, o futebol brasileiro está paralisado, sem previsão de volta. Período que, se os times não podem usar para treinar, ao menos os treinadores podem fazer uma reflexão do que deu certo ou errado neste início de temporada.

Entre altos e baixos, o Coritiba vai tentando se encaixar em 2020. Depois de um começo altamente positivo, com quatro vitórias e dois empates, o Coxa perdeu duas vezes seguidas, uma delas por 1×0 para o Manaus, que custou a eliminação ainda na primeira fase da Copa do Brasil.

Resultados que colocaram em xeque o trabalho do técnico Eduardo Barroca, que foi se recuperando e, depois dos tropeços, não perdeu mais. Foram três vitórias (sendo uma delas um 4×0 sobre o Athletico), um empate e a primeira colocação da primeira fase do Campeonato Paranaense.

+ Podcast De Letra: O efeito coronavírus no futebol

O Alviverde entrou em campo neste ano 12 vezes. Foram sete vitórias, três empates e duas derrotas, totalizando 66,6% de aproveitamento. Até aqui, o time não perdeu jogando no Couto Pereira, com quatro vitórias e dois empates (77,7% contra 55,5% fora).

Nesta sequência invicta na reta final, antes da paralisação, o Coritiba marcou oito gols, melhorando seu desempenho ofensivo, que já era positivo. Na temporada, a equipe balançou as redes 24 vezes (média de dois gols por jogo).

Com quatro vitórias e dois empates, Coxa está invicto em casa em 2020. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná

No total, 12 jogadores já marcaram pelo Coxa, com a artilharia da equipe sendo dividida por cinco deles: os atacantes Sassá e Robson, os meias Rafinha e Ruy e o zagueiro Rhodolfo já fizeram três gols cada um.

+ Cristian Toledo: Relembre outras vezes que o Paranaense foi paralisado

A defesa também melhorou. Até os últimos quatro jogos, o Alviverde só não tinha sido vazado na vitória por 1×0 sobre o Paraná. Agora, só levou um gol neste período. Ainda assim o setor preocupa o técnico Eduardo Barroca, uma vez que levou 11 gols no total.

Time-base

Apenas um jogador esteve em campo nas 12 partidas do Coritiba em 2020. O meia Thiago Lopes foi sempre requisitado por Barroca, mas foi titular em oito ocasiões, saindo do banco em outras quatro.

Logo atrás dele, estão o goleiro Alex Muralha, o volante Matheus Sales, o meia Rafinha e o atacante Igor Jesus, com dez participações cada um. No total, o treinador já utilizou 30 atletas nos primeiros meses do ano.

Mesmo não sendo titular absoluto, Thiago Lopes jogou todas as partidas do Coxa no ano. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná

Se considerar os que mais atuaram em cada posição, o time-base coxa-branca até aqui vem sendo: Alex Muralha; Patrick Vieira, Sabino, Rhodolfo e William Matheus, Matheus Sales, Matheus Galdezani e Thiago Lopes; Rafinha, Robson e Igor Jesus. Destes, Galdezani é o que mais veio do banco, sendo utilizado com o jogo já em andamento em cinco ocasiões.

+ Mais do Coxa:

+ Barroca se preocupa com físico do Coritiba e defende calendário europeu
+ Os ganhos e as perdas do Coritiba com a parada do futebol
+ Paralisação trará impactos drásticos no futebol, segundo especialistas