O técnico do Coritiba, Eduardo Barroca, defende que o momento de paralisação forçada do futebol no país, por causa do coronavírus, é uma oportunidade para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) adaptar o calendário brasileiro ao europeu, com as disputas começando em julho de um ano e indo a junho do ano seguinte.

“Esse período de inatividade forçada é uma grande oportunidade para a gente discutir a fundo o calendário, de como qualificar as equipes menores com um calendário mais volumoso. Talvez até equiparar nosso calendário de uma vez por todas ao europeu”, declarou, em entrevista na tarde de quarta-feira (18), ao canal SporTV.

Segundo o treinador, a modificação ajudaria também as seleções brasileiras de base e principal, além da busca por qualificação com cursos no exterior.

+ Podcast De Letra: O efeito coronavírus no futebol

“Trabalhei muito tempo em seleção de base e senti na pele a dificuldade de selecionar jogadores, por causa do calendário”, comentou.

“A nossa busca por qualificação também fica cerceada, nós profissionais temos dificuldades em nos atualizar por causa disso”, completou ele.

Preparação

Barroca também comentou o planejamento do Coxa durante a interrupção e revelou preocupação com a perda de condicionamento físico por parte dos atletas. “Agora temos muito mais preocupação individual com os jogadores”, revelou.

“Alguns deles estavam em tratamento no departamento médico, alguns nos preocupamos em relação à perda de condicionamento físico”, prosseguiu o técnico, que está no Rio de Janeiro com sua família neste período de interrupção.

“A gente ainda não tem uma convicção do retorno do calendário, neste momento isso fica totalmente em segundo plano, com relação à saúde humana”, encerrou o treinador.

+ Mais do Coxa:

+ Hélio Cury diz que Paranaense será decidido no campo
+ Coritiba faz reembolso pra quem comprou ingresso pro Atletiba
+ Os ganhos e as perdas do Coritiba com a parada do futebol
+ Coritiba troca patrocínios do Couto por avisos sobre coronavírus