Uma ação orquestrada por dezenas de bandidos fortemente armados fez com que 29 presos (e não 28 como tinha sido noticiado no começo do dia) fugissem da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP I), em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), na madrugada desta terça-feira (11). Para que os detentos conseguissem escapar, através de um muro explodido, ruas e até o Contorno Leste, a BR-116, foram bloqueados, veículos incendiados e houve intensa troca de tiros com policiais.

A ação toda aconteceu na madrugada e foi bem planejada pelos bandidos. Antes de o muro ser detonado, como aconteceu no começo do ano passado, o plano foi instalar o caos em todo o entorno da prisão que fica em Piraquara.

+ Leia mais! Busca e apreensão: Gaeco impede entrada de funcionários na sede do grupo J. Malucelli

Foto: PRF/Divulgação.
Caminhões foram colocados na rodovia para impedir passagem das viaturas. Foto: PRF/Divulgação.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), era por volta das 3h30 quando cinco caminhões foram queimados na pista sentido a São Paulo do Contorno Leste de Curitiba, na altura do quilômetro 85, em Piraquara. Simultaneamente, também na BR-116, mas na pista sentido oposto e na altura do quilômetro 75, em Quatro Barras, outro veículo em chamas foi encontrado pela PRF.

Enquanto as equipes davam atendimento às situações de veículos queimados, os bandidos já tinham detonado o muro que ficava próximo a uma das galerias da PEP I. De acordo com o coronel Hélio de Oliveira Manoel, secretário especial de Administração Penitência, mais de 100 presos estavam no mesmo espaço e pelo menos 29 deles fugiram, mesmo sob a intensa troca de tiros com policiais de varias unidades que vieram em apoio.

A ação, conforme a polícia, foi planejada por uma facção que buscava liberar determinados presos. Não se sabe ainda se todos os alvos conseguiram escapar ou não. O que a polícia informou é que o grupo que participou do arrebatamento estava fortemente armado com fuzis.

Um caminhoneiro foi baleado, mas os policiais ainda não conseguiram apurar as circunstâncias. O rapaz, de 25 anos, foi socorrido e encaminhado ao Hospital do Trabalhador, em Curitiba.

Desespero

Um grupo de trabalhadores que vinha de Praia Grande, litoral de São Paulo, passou por apuros na madrugada quando o carro em que estavam estragou. “A roda caiu e tivemos que parar no acostamento. Não deu nem uma hora e vimos os bandidos chegando, colocando carros no meio da rodovia e queimando tudo, passamos por muito medo”, contou um rapaz, que pediu para não ser identificado.

Foto: Gerson Klaina.
Trabalhador viu toda a ação dos bandidos. Foto: Gerson Klaina.

Conforme o trabalhador, com o carro pifado, o grupo que veio para ajudar na finalização de um supermercado em Curitiba, não teve sequer como se proteger. “Quando o carro estragou e acionamos a concessionária, nos avisaram que era para termos cuidado porque a região é perigosa. Nisso aconteceu tudo. A gente correu para o mato na hora, para evitar que os bandidos nos pegassem”.

Depois, quando o bloqueio na rodovia ainda estava sendo feito e os bandidos já tinham fugido, o grupo passou ainda mais medo na mão de policiais militares. “Como estávamos com ferramentas no carro, que é tipo uma perua, os policiais acharam que fazíamos parte do grupo dos bandidos. Nos abordaram, mandaram deitáramos no chão e não deixaram sequer a gente se proteger do tiroteio que aconteceu. Passamos ainda mais medo”.

Por volta das 11h é que o socorro para o grupo, de seis trabalhadores, chegou. Eles foram levados por uma equipe da concessionária que administra o trecho até um ponto seguro.

Foto: Gerson Klaina.
Foto: Gerson Klaina.

Rodovia bloqueada

Por conta do bloqueio na rodovia, o trânsito se transformou num verdadeiro caos desde as primeiras horas da manhã. Conforme a PRF, por volta das 5h20 a pista em Quatro Barras já tinha sido totalmente liberada, mas a limpeza do outro sentido, em Piraquara, ao começou a ser feita por volta das 6h30, o que fez com que o bloqueio continuasse.

Uma das pistas foi liberada por volta das 8h30, mas com a restrição pelas outras faixas continuarem bloqueadas. Os dados da PRF informam o registo de, pelo menos, 17 quilômetros de fila no sentido a São Paulo do Contorno Leste.

Beto Richa e Fernanda Richa são presos em Curitiba por operação do Gaeco