enkontra.com
Fechar busca

Política

Gaeco e PF

Ex-governador e candidato ao Senado, Beto Richa é preso acusado de corrupção

  • Por Redação

Foram presos, na manhã desta terça-feira (11), o ex-governador e candidato ao senado Beto Richa e sua esposa Fernanda Richa. A prisão do ex-governador e da mulher ocorreu por conta de uma operação do Gaeco, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Paraná. Segundo o Gaeco, são 15 mandados de prisão preventiva e 26 mandados de busca e apreensão sendo cumpridos.

Por volta das 5h50, policiais já estavam no apartamento do casal no bairro Mossunguê, em Curitiba. A operação do Gaeco (chamada de Operação Rádio Patrulha) faz parte de uma investigação no programa Patrulha do Campo, do governo do Paraná, entre 2012 e 2014, em que se apuram evidências de direcionamento de licitação para beneficiar empresários e pagamento de propina a agentes públicos, além de lavagem de dinheiro. Apura-se ainda o crime de obstrução de Justiça.

Além de Curitiba, a operação se desdobra em Londrina, Santo Antônio do Sudoeste e Nova Prata do Iguaçu, sendo as buscas realizadas em 16 residências, quatro escritórios, um escritório político, quatro empresas e na sede do DER. Os mandados foram cumpridos após determinação do juiz Fernando Fischer, da 13º Vara de Curitiba. Há ainda um mandado de prisão contra o empresário Joel Malucelli.

+Leia mais! Beto Richa enriqueceu com propina da “Quadro Negro”, diz ex-diretor

Além de Beto e Fernanda Richa, o ex-secretário Deonilson Roldo também foi preso na operação do Gaeco. Foram presos ainda Pepe Richa, irmão de Beto Richa e ex-secretario de Infraestrutura, Ezequias Moreira, ex-secretário de cerimonial, e Luiz Abib Antoun, parente do ex-governador, que chegou a ser condenado a 13 anos de prisão por fraudes.

Veja todos os mandados de prisão expedidos: 

Fernanda Richa (presa)– esposa de Beto Richa e ex-secretária da Família e Desenvolvimento Social; 

Deonilson Roldo (preso) – ex-chefe de gabinete do ex-governador; 

Pepe Richa (preso) – irmão de Beto Richa e ex-secretário de Infraestrutura; 

Ezequias Moreira (preso)– ex-secretário de cerimonial de Beto Richa; 

Luiz Abib Antoun (preso) – parente do ex-governador; 

Celso Frare (preso) – empresário da Ouro Verde;

Aldair W. Petry (preso);

Dirceu Pupo (preso) – contador;

Emerson Cavanhago (preso) – empresário;

Robinson Cavanhago (preso) – empresário;

Túlio Bandeira (preso) – advogado

Edson Casagrande – ex-secretário de Assuntos Estratégicos; 

Joel Malucelli – empresário J.Malucelli;

André Felipe Bandeira.

Beto-richa-e-fernanda-richa

“Piloto”

Simultaneamente, a casa do ex-governador foi alvo de mandados de busca e apreensão da 53ª fase da Operação Lava Jato, que investiga propinas supostamente feitas pelo setor de operações estruturadas da empreiteira Odebrecht, por conta de uma obra de duplicação da PR-323.

Além de Curitiba, a PF cumpre 36 ordens judiciais em Salvador, São Paulo, Lupianópolis (PR) e Colombo (PR).

+Leia mais! Ex-governador Beto Richa está perto de ser condenado por viagem a Paris

O objetivo da investigação é a apuração de suposto pagamento milionário de vantagem indevida no ano de 2014, pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, em favor de agentes públicos e privados no Estado Paraná, em contrapartida ao possível direcionamento do processo licitatório para investimento na duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.

O nome da operação foi dado em referência ao apelido de Richa na planilha da empreiteira.

Em nota, a governadora e candidata à reeleição Cida Borghetti informou que o governo do Estado vai aguardar a divulgação de mais informações a respeito dessa fase da Operação Lava Jato para tomar outras providências.

+Leia mais! Beto Richa é suspeito de receber propina em troca de zoneamento ambiental

Também em nota, a J. Malucelli se posicionou a respeito do mandado contra Joel Malucelli e afirmou se tratar de acusações injustas. “O empresário desde 2012 se desligou das atividades e rotinas da empresa fundada por ele e se encontra na presente data em férias, fora do país, aguardando orientação de seus advogados, que ainda não foram notificados oficialmente sobre a operação. Fundamental reafirmar que a JMalucelli Equipamentos já se manifestou nesta terça-feira (11) negando, veementemente, a participação em qualquer irregularidade e informou que não firmou qualquer contrato com o Governo do Paraná relacionado às Patrulhas Rurais.”, diz a empresa.

O que diz a defesa do ex-governador?

Em nota, a defesa de Beto Richa disse “até agora não sabe qual a razão das ordens judiciais proferidas. A defesa ainda não teve acesso à investigação”.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

 

Cadê a calçada?

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

83 Comentários em "Ex-governador e candidato ao Senado, Beto Richa é preso acusado de corrupção"


Domingos Jorge Velho
Domingos Jorge Velho
12 dias 18 horas atrás

Nunca vi uma história semelhante, um marginal caçado ao mesmo tempo por 2 forças policiais, por casos distintos. Isso diz tudo que precisamos saber sobre a periculosidade do meliante.

pedrinho
pedrinho
12 dias 22 horas atrás

…..e os coxinhas continuam caindo……kkkkkk…s r n do maior em tudo

Cláudio
Cláudio
13 dias 17 minutos atrás

Azedou a marmita.
Alguém vai votar em presidiário?

Cicero RKL
Cicero RKL
13 dias 1 hora atrás

Não me interessa o partido do safado, não me interessa se tem ideologia e se o sujeito é popular ou não, o que importa é que mais alguns CORRUPTOS foram presos. O Paraná, o Brasil precisa disto, que políticos e empresários, etc., metidos em roubo de dinheiro público sejam presos, parabéns a Justiça!

OCIMAR LUIZ BAZANI
OCIMAR LUIZ BAZANI
13 dias 1 hora atrás

Coloca junto com o ladrão de nove dedos,vão se aquecer no frio curitibano.

1 2 3 11
wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas