Ocupação e complemento da renda

“Oitentões” dão exemplo e são orgulho na empresa em que trabalham em Curitiba

Filinto Brandão, de 89 anos e Shighehar Mori, 83, são colegas de trabalho em uma empresa de Curitiba. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná

Experiência, foco e determinação em trabalhar. Empresas de Curitiba e região metropolitana estão apostando em dar oportunidade para as pessoas acima dos 60 anos de idade. São profissionais com hábitos tradicionais, que buscam aliar a tecnologia com a regularidade no horário, atenção ao serviço e repúdio ao uso constante do celular. 

LEIA MAIS – Uber é condenado a pagar R$ 1 bilhão por danos coletivos e registrar motoristas

De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil ultrapassou a marca de 30 milhões de pessoas acima dos 60 anos, e a expectativa é que a partir de 2039, o país tenha mais idosos do que crianças. E uma tendência recente mostrou um aumento significativo no número de trabalhadores com 70 anos ou mais. Segundo o IBGE, desde abril de 2021, esse número cresceu mais de 20% no Brasil. 

Um dos grandes exemplos ocorre na Assisteco Assistência Técnica Contábil, localizada no Centro de Curitiba. Atualmente, são 15 funcionários que atuam na empresa, sendo que dois deles já passaram dos 80 anos. Filinto Brandão, 89 anos de pura energia, chega diariamente ao escritório Às 7h25 para trabalhar como auxiliar de escritório.

VIU ESSA? Mega Sena 2632 milionária dá prêmio para três apostas de Curitiba e região

Filinto e Shighehar faze parte de uma equipe de 15 funcionários. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná

“Eu tenho responsabilidade, fui criado assim. Eu sei que o mundo mudou, mas tenho meus conceitos. Não deixo minha família na mão, e esse trabalho ajuda a complementar a minha renda. O salário de aposentado não banca a despesa”, diz Filinto, que antes era maratonista.

O companheiro de trabalho e com a mesma função é Shighehar Mori, 83 anos, um japonês que não quer descanso, algo comum entre os orientais. Para ele, descanso só aos fins de semana, e olha lá. “Se o chefe pedir, venho trabalhar. Idoso em casa não pode ficar só vendo televisão, pois vai acabar morrendo antes da hora. Aqui somos bem tratados, é um bom ambiente”, comenta o vovô de três netos.

“Celular é para ligar e atender”

Uma das grandes vantagens de contar com colaboradores mais experientes é não ter o aparelho celular como prioridade durante o trabalho, algo que os jovens têm dificuldade de desapegar.

LEIA AINDA – Shopping da região de Curitiba completa 15 anos com novidades e aumento nas vendas

Gilberto Jorge da Paz, 71 anos, é o responsável pela Assisteco e tem experiência em gestão de equipe. De acordo com ele, ter no time pessoas da terceira idade é vantajoso em vários sentidos, inclusive nesse aspecto da tecnologia. “A mentalidade deles é diferente, é mais profissional. Não ficam no celular toda hora, eles são mais centrados”, relata Gilberto.

Gilberto Jorge da Paz, 71 anos, é o responsável pela Assisteco. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná

Questionado sobre o uso dessa tecnologia, Filinto desaprova o uso ilimitado do aparelho celular. “Eu não entendo os jovens, é um vício. Quando venho para o trabalho, vejo no ônibus umas 15 pessoas que não largam [o aparelho]. O celular é para ligar, atender e colocar no bolso”, completa o ex-marotanista.

Avenida importante de Curitiba vive impasse! Qual é a melhor solução?
Vote na enquete!

Avenida importante de Curitiba vive impasse! Qual é a melhor solução?

Empresário de Curitiba conquista todos com esse veículo famoso na Índia
Amarelo simpático!

Empresário de Curitiba conquista todos com esse veículo famoso na Índia

Rapazes têm dia digno de
VÍDEO

Rapazes têm dia digno de “Superhomem” em Curitiba; O que eles fizeram foi INCRÍVEL!!!

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.