Moradores de Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, voltaram a sentir terremotos na cidade, cerca de duas semanas após a terra tremer na cidade, no último dia 23 de abril. Segundo relatos, foram dois abalos, o primeiro por volta das 20 horas e o segundo cerca de uma hora e meia depois, na noite dessa terça-feira (7).

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

De acordo com o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo, que faz o monitoramento dos abalos no país, o tremor registrado foi de magnitude 2,2 na Escala Richter. O epicentro do tremor foi na superfície, e pôde ser sentido em um raio de 50 quilômetros.

Foto: Reprodução/USP
Foto: Reprodução/USP

Conforme dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), uma das referências mundiais no assunto, um tremor dessa magnitude geralmente não é sentido, mas é detectado pelos sismógrafos. A capacidade de dano de um terremoto desses é similar, de acordo com o USGS, à explosão de um bujão de gás.

Outros terremotos

Em 2017, um terremoto maior, de 3,5 graus, abalou a cidade. Além de Rio Branco do Sul, cidades vizinhas, como Itaperuçu e Almirante Tamandaré, também foram atingidas. Já em dezembro de 2018, a terra tremeu em Piraí do Sul, na região dos Campos Gerais. Segundo o Centro de Sismologia da USP, o terremoto chegou à 2,8 na Escala Richter.

Em nenhum dos casos foram registradas vítimas ou problemas estruturais decorrentes dos tremores.

Roubo em agência bancária acaba em explosão e tiroteio na madrugada