Após suspender o pagamento de cotas dos estaduais por causa da paralisação das disputas devido à pandemia de coronavírus, a Globo tomou a mesma medida em relação à primeira parcela, de 40% do total, que pagaria referente aos direitos de TV do Brasileirão. A informação é do UOL Esporte.

O valor da parcela corresponde a cerca de R$ 439 milhões, que seriam distribuídos igualitariamente entre os 20 clubes da elite, rendendo cerca de R$ 22 milhões para cada equipe.

Ainda segundo o UOL Esporte, estes valores são normalmente pagos em duas parcelas, nos meses de março e abril. No mês passado, já não houve o pagamento da primeira parcela.

Antes, a Globo já havia informado os clubes dos campeonatos Paulista, Baiano e Carioca que não pagaria as cotas dos estaduais a partir de abril. Ao receberem a informação, algumas equipes, inclusive, cogitaram acelerar o retorno das competições locais, decisão que caberá às federações de cada Estado.

+ Blog do Cristian: CBF, Globo e clubes recebem projeto de “revolução” do futebol brasileiro

Em 2020, Paulistão, Carioca (sem Flamengo), Gaúcho, Mineiro, Goiano, Sul-Mato-Grossense, Cearense, Catarinense, Baiano e Pernambucano são exibidos pela Globo em TV aberta. Os repasses são feitos em parcelas, ajustados ao fluxo de caixa das equipes. Até aqui, apenas os campeonatos do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais não tiveram os repasses suspensos.

No Paraná, que tem a plataforma de streaming DAZN como detentora dos direitos de transmissão, a tendência também é de suspensão das cotas. Por enquanto, não houve confirmação oficial da empresa sobre a interrupção dos pagamentos, mas alguns times já relatam atrasos na parcela de março.

+ Mais do futebol paranaense:

+ Árbitros recebem adiantamento de R$ 900 mil da CBF durante pandemia
+ Personagem de polêmica entre Athletico e Botafogo deixa o Furacão
+ Destaque do Coritiba, Rafinha fala da nova rotina durante pandemia
+ Paraná reforça campanha pra arrecadar fundos pra moradores da Vila Torres