Na goleada do Coritiba por 4×0 sobre o Cascavel, na última quarta-feira (12), no Couto Pereira, muitos jogadores se destacaram na boa atuação da equipe. Mas um, especificamente, aproveitou a partida para mostrar que pode ser titular novamente. O lateral-direito Dodô ficou com a posição, uma vez que Rodrigo Ramos estava suspenso, e mostrou que pode brigar pela posição.

Diante da Serpente, o camisa 98 criou várias oportunidades ofensivas e ainda participou da jogada de dois gols. Uma chance que há tempos ele não tinha e não aproveitava. Contra o Londrina, na última rodada da primeira fase, Dodô foi titular, mas não foi bem, assim como toda a equipe na ocasião. Desde que voltou da disputa do Sul-Americano sub-20, defendendo a seleção brasileira, o lateral não vinha rendendo bem.

Promovido no ano passado para o time principal do Coritiba, o jogador oscilou bons e maus momentos. Nesta temporada, perdeu espaço para Rodrigo Ramos. Uma briga sadia, que segundo ele, mostra o potencial da base alviverde.

“O Coritiba vem revelando muitos jogadores nas categorias de base. Agora quero mostrar meu trabalho dentro de campo, a disputa é com muito respeito e nós dois já provamos capacidade, tanto que defendemos a seleção brasileira na base. O Rodrigo disputou o Mundial dois anos atrás e eu disputei o Sul-Americano. Aproveitei a minha chance hoje e quero ter confundido a cabeça do treinador”, declarou Dodô, que garantiu que o clube não precisa de reforços para a posição.

“O Coritiba não precisa trazer lateral. Venho trabalhando forte e quero marcar meu nome aqui”, ressaltou. Nesta semana, o nome do lateral-direito Léo, afastado do Atlético, começou a ser sondado no Coxa.

Por enquanto, o técnico Pachequinho conta com os garotos para o setor. E confia nas peças que tem. O treinador elogiou o ambiente do grupo e disse que a disputa interna por uma vaga entre os titulares vem aumentando o nível técnico da equipe e que todos estão provando que podem jogar.

“O nosso ambiente de trabalho, o dia a dia, para quem convive, todo mostram vontade e querem uma oportunidade de jogar. Nosso ambiente é muito prazeroso e todos estão dedicados e com espírito de vencer. O Dodô está aí desde o ano passado, tem potencial, e não tenho receio nenhum em colocar ele. Outros que entraram também mantiveram a mesma pegada”, disse Pachequinho.