enkontra.com
Fechar busca

Coritiba

Coritiba

Coritiba

Perdeu a força?

Coritiba vê Couto Pereira ficando vazio e sem vitórias

Em sete jogos em casa, Coxa só ganhou duas vezes e público parece estar cada vez mais longe do estádio

  • Por Luiz Ferraz
Melhor público no estádio no ano foi na final da Taça Barcímio Sicupira. Mesmo valendo título e vaga na final, menos de oito mil coxas-brancas foram ao Alto da Glória. Foto: Albari Rosa

Jogar no Estádio Couto Pereira sempre foi o diferencial do Coritiba em grandes campanhas realizadas na sua história. Mas parece que os momentos áureos do Alto Glória ficaram no passado e o time coxa-branca não conseguiu emplacar o fator casa ainda na temporada 2019. O rendimento pífio de 52% nas partidas realizadas dentro do seu estádio no Campeonato Paranaense ligou o sinal de alerta para que o Verdão melhore seu rendimento como mandante para conseguir, na Série B do Campeonato Brasileiro, brigar pelo acesso.

Durante o Estadual, o Coritiba fez sete partidas dentro do Couto. A equipe até manteve a invencibilidade, mas conseguiu apenas duas vitórias e empatou as outras cinco oportunidades. Prova de que o Coxa, quando encontrou adversários mais retrancados, teve muitas dificuldades para furar a defesa e propor os jogos. O que pode ser explicado em números.

+ Leia também: Coxa já tem um time-base pra iniciar a Série B

Foram apenas sete gols marcados nos sete jogos realizados no Alto da Glória. Em um desses empates, o Coritiba, na decisão da Taça Barcímio Sicupira, não saiu do 1×1 com o Toledo e viu o adversário comemorar o título na disputa dos pênaltis.

As duas únicas vitórias em casa aconteceram sob o comando do técnico Umberto Louzer. A primeira, diante do FC Cascavel, pela fase classificatória da Taça Dirceu Krüger. Depois, contra o Londrina, pela semifinal, o Verdão saiu perdendo, mas conseguiu a virada no final e garantiu, na oportunidade, a vaga na decisão.

Talvez esse rendimento abaixo da média do Coxa possa ser explicado pela pressão que o time está carregando por conta dos resultados ruins colhidos recentemente. O rebaixamento em 2017 e a campanha ruim na Série B do ano passado deixaram o torcedor coxa-branca cada vez mais impaciente e a escassez de bom rendimento e melhores resultados traz insegurança ao grupo.

+ Mais na Tribuna: Dirceu Krüger recebe alta após se recuperar de cirurgia

O Couto Pereira, acostumado a sempre receber grandes públicos, ficou mais vazio neste começo de temporada. A média de público é de 4.758 torcedores por partida. Reflexo da fase de instabilidade dentro de campo. O melhor público registrado neste ano foi na decisão do primeiro turno do Campeonato Paranaense, quando 7.683 acompanharam a vitória do Toledo nas penalidades.

Esse desempenho ruim dentro do Alto da Glória não pode se repetir se o Coritiba quiser brigar pelo acesso à primeira divisão. No ano passado, por exemplo, o Coxa somou a maioria dos seus pontos no Alto da Glória. Não a toa, fez valer o fator casa na Série B e, com 66% de rendimento, a equipe alviverde terminou com a segunda melhor campanha como mandante da Segundona.

Só ficou atrás do Fortaleza, campeão, que conquistou 75% dos pontos disputados dentro de casa. Faltou, então, um maior equilíbrio para o Alviverde na sua campanha, que teve o quarto pior rendimento como visitante e, por isso, não conseguiu o tão sonhado acesso.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

49 Comentários em "Coritiba vê Couto Pereira ficando vazio e sem vitórias"


Paulo Brificcado
Paulo Brificcado
1 mês 1 dia atrás

Com esta fase ruim, que não acaba nunca, e o cheiro de mijo que fica na roupa quando se vai ao estádio, só podia ficar vazio mesmo.

Edson Oliveira
Edson Oliveira
1 mês 4 dias atrás

Solução :
Colocar novas faixas cômicas – à venda por R$ 1,99, nas camisas dos jogadores…para assim poder pagar a luz e água do estádio.

Marcos Lopes
Marcos Lopes
1 mês 4 dias atrás

Os clubes que recebem grandes valores da tv ou de qualquer outra fonte perene podem se dar ao luxo de ser teimosos, e/ou manter estruturas medievais. Quem não tem essa grana e quer ser “player”, tem que dar seus pulos, modernizar, empresariar, etc. Então, levanta essa bundass gorda daí.

Márcio Lisbôa
Márcio Lisbôa
1 mês 5 dias atrás

Nosso Rei quer vender o CT de Quatro Barras não para investir na ampliação do CT Bayard Iana mas para torrar a grana na ampliação da contratação de pangarés! Nosso Rei reforçou o time a tal ponto que nem na final estamos. Nem passamos do URT. Nem ganhamos dos piás do CAP. Série C nos aguarde!

Márcio Lisbôa
Márcio Lisbôa
1 mês 5 dias atrás

Olhem para o Rei sentado na cadeira da presidência do Coritiba. Não dá entrevistas pois só fala com os sócios. Os demais torcedores não tem valor algum pra ele. Ele quer mais sócios mas não se comunica com a torcida. Este Rei tem muita empatia, basta recordar seu debate com o Viale e o Pedro.

1 2 3 6
wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas