O Toledo não vai se amedrontar com o favoritismo do Coritiba para a final da Taça Barcímio Sicupira, o primeiro turno do Campeonato Paranaense. A decisão, que vale o título da primeira fase, acontece neste domingo (24), no Couto Pereira, a partir das 17h. Ainda que o confronto seja na casa do adversário, o Porco promete ir pra cima e brigar com todas suas forças por essa conquista, que poderá ser a maior da história do clube, fundado em 2004.

Deixando pra trás na semifinal o Operário, um dos candidatos ao título, a estratégia do Toledo para o duelo com o Alviverde será apostar nas investidas em cima do adversário.

“Nós temos consciência do favoritismo do Coritiba, que joga em seus domínios, mas vamos nos impor. Nos preocuparemos em nos defender, mas não vamos jogar apenas nos defendendo. Queremos propor jogo”, destacou, em entrevista exclusiva à Tribuna do Paraná, o técnico Agenor Piccinin, que valoriza a preparação mental da equipe.

+ Leia também: Ingressos pra final já estão à venda

“Contra o Operário mostramos como nosso grupo está fechado e temos uma grande força psicológica. Levamos o gol no final do jogo e tivemos frieza para vencer nos pênaltis. Estamos preparados”, enfatizou.

Com a melhor campanha do Grupo A na primeira fase da competição deste ano, o time do Oeste somou dez pontos, com duas vitórias e quatro empates. Responsável por conduzir o grupo nesses seis jogos, Piccinin é velho conhecido do TEC.

Atualmente técnico do Toledo, Agenor Piccinin (de boné), foi um dos responsáveis pela criação do clube. Foto: Carlos Eduardo/ Assessor de imprensa do TEC
Atualmente técnico do Toledo, Agenor Piccinin (de boné), foi um dos responsáveis pela criação do clube. Foto: Carlos Eduardo/ Assessor de imprensa do TEC

“Iniciei o projeto de criar um time na cidade de Toledo em 2003 e no ano seguinte consegui com diversas parcerias fundar o então Toledo Colônia Work, que depois das mudanças tornou-se o Toledo Esporte Clube”, explicou ele.

Anos depois, deixou o clube para trabalhar na Chapecoense, conquistando dois títulos do Campeonato Catarinense. Piccinin rodou por outros times e no fim de 2018 retornou à equipe que ajudou a fundar.

+ Mais na Tribuna: Wilson perto de marca história pelo Coritiba

“Cheguei em novembro do ano passado com a missão de montar o elenco e no dia 3 de dezembro iniciamos nossa preparação”, detalhou o experiente comandante, que tem 44 anos de futebol. A temporada pensada com antecedência é um dos diferenciais que credenciaram o grupo a estar nesta final.

“A equipe atingiu uma maturidade para estar nesta decisão. São 80 dias de atividade e o elenco cresceu no aspecto físico, tático, técnico e psicológico. Passamos de um time concorrente ao rebaixamento a um clube em busca do título”, destacou o professor.

Elenco do Toledo está confiante e preparado pra final. Foto: Carlos Eduardo/ Assessor de imprensa do TEC
Elenco do Toledo está confiante e preparado pra final. Foto: Carlos Eduardo/ Assessor de imprensa do TEC

A estratégia pensada pela diretoria na primeira ‘corrida‘ do Estadual deu certo. Levando em consideração os adversários da tabela e a importância de ir bem no ‘tiro curto‘ da disputa, o Porco sabia que tinha que se entregar ao máximo.

+ Confira a classificação completa do Campeonato Paranaense

“No começo da temporada os times ainda não estão completamente formados e nem fisicamente preparados. Por isso, queríamos somar o máximo de pontos no primeiro turno, considerando também a dificuldade dos adversários no segundo”, falou o técnico, que explica que agora a meta é somar, no mínimo, mais sete pontos nos cinco jogos da segunda fase. Isso porque o TEC tem pretensões de aumentar seu calendário em 2020.

Mais que um título

Neste ano, o Porco tem apenas o Paranaense para disputar. Porém, se vencer a Taça Barcímio Sicupira, o Toledo estará garantido na próxima Copa do Brasil e também na Série D do Campeonato Brasileiro. Mas o foco, no momento, é na classificação geral. Os três melhores colocados do Estadual, fora Athletico, Coritiba, Paraná Clube, Londrina e Operário, que estão nas séries A e B, conquistam a vaga na quarta divisão.

“Queremos fechar nossa participação com 17 ou 18 pontos, para assim conseguir uma vaga na Série D do ano que vem‘, explicou o professor.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!