Foto: Vilson Quintino/GPP
O bando era comandado por um presidiário do Rio Grande do Sul.

Uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas, comandada por um presidiário do Rio Grande do Sul, foi desmantelada pela Promotoria de Investigação Criminal (PIC) de Foz do Iguaçu. De acordo com as investigações, o grupo é responsável pela distribuição de drogas para vários estados, mas os principais ?clientes? eram o Primeiro Comando da Capital (PCC), em São Paulo, e o Comando Vermelho e o 3.º Comando, ambos do Rio de Janeiro. Ontem, policiais lotados no Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gerco), ligado à PIC, e policiais militares cumpriram 18 mandados de prisão em várias cidades do Brasil, e 17 mandados de busca e apreensão. Durante a operação, batizada de Albatroz, foram apreendidas mais de 11 toneladas de drogas, além de dez carros e uma moto, que seriam utilizados para o transporte de entorpecentes ou usados como ?moeda de troca?, pelo bando.

O delegado Alexandre Rorato, que comandou os trabalhos, contou que as investigações começaram em maio deste ano, quando foi preso, em Foz do Iguaçu Roberto Tenório Bezerra. Ele foi recambiado para o presídio de Charqueadas (RS), mas as investigações continuaram. ?Descobrimos que ele comandava o grupo, principalmente através de telefone celular. Ele era o responsável pelas negociações e ordenava como os outros integrantes deveriam proceder?, comentou o delegado. Segundo Alexandre, durante as investigações outras pessoas ligadas ao grupo foram presas. ?Agora foram decretadas 28 prisões preventivas. Deste total, dez ainda estão foragidas. Acreditamos que por se tratar de uma região de fronteira, algumas já estejam no Paraguai?, contou o delegado.

Os nomes dos presos não foram divulgados, mas o delegado adiantou que um deles foi cumprido em Charqueadas (RS), outro no Rio de Janeiro. Também ocorreram prisões em Presidente Bernardes (SP), Caraguatatuba (SP), em Curitiba (PR), Toledo (PR), Santa Terezinha do Itaipu (PR) e em Missal (PR).

Tráfico

Segundo as investigações, a quadrilha está agindo há aproximadamente dez anos e começou com alguns integrantes de um dos bairros de Foz do Iguaçu, ficando conhecida como ?Firma?. Aos poucos, o grupo foi se organizando e cada integrante recebeu uma função específica. ?Apesar dos focos principais serem o Rio de Janeiro e São Paulo, eles também forneciam drogas para várias cidades do Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Acreditamos que nos últimos meses o grupo negociou entre 10 e 15 toneladas de maconha, cocaína e derivados, como crack?, informou o delegado. Ele disse que este ano já foram interceptados três carregamentos da quadrilha. Num deles, era transportada uma tonelada de maconha que estava esconda em sacos de carvão.