Em operações determinadas pelo secretário da Segurança Pública, coronel Aramis Linhares Serpa, policiais civis do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) apreenderam em Curitiba, de abril a julho, 342 máquinas caça-níqueis em 29 casas de jogos. “Vamos manter o combate constante e intenso ao tráfico de drogas e aos jogos clandestinos que fomentam a criminalidade”, disse o secretário.

Segundo o delegado Hamilton Cordeiro da Paz, os parentes das pessoas que perdem dinheiro nas máquinas procuram a polícia e denunciam os locais em que elas estão instaladas. A última apreensão ocorreu na segunda-feira (26), quando os policiais do Cope apreenderam nove máquinas, em duas salas comerciais que ficam na Rua José Loureiro, no centro da capital. “Os dois responsáveis pelos estabelecimentos assinaram termos circunstanciados”, afirmou o delegado.

“Foram várias as operações, mas a maior delas, na qual conseguimos apreender 113 máquinas, foi em 7 de maio”, afirmou o delegado Hamilton. Na Rua Matheus Leme foram apreendidas 34 máquinas; na Rua Augusto Stresser, 30 máquinas; na Rua Santo Antônio, mais 14, e na Rua João Negrão, 35 caça-níqueis.

Segundo a polícia, por desenvolver atividades referentes a jogos de azar, os proprietários dos estabelecimentos, geralmente assinam termo circunstanciado e devem se apresentar à Justiça no decorrer do processo. “Os clientes que estão nos locais são identificados e podem ser chamados para depor”, afirmou o delegado.

Perícia

As máquinas são periciadas pelo Instituto de Criminalística ainda nos locais, apreendidas e encaminhadas ao depósito da Polícia Civil, em São José dos Pinhais, onde ficam à disposição da Justiça, que deve determinar a data e local para a destruição dos equipamentos.

De acordo com a polícia, o dinheiro encontrado nas máquinas é depositado em uma conta em nome do indiciado no termo circunstanciado. Essa conta ficará retida e à disposição da Justiça, que indicará um destino para o dinheiro. Para o delegado Hamilton da Paz, a população pode denunciar a prática de jogos de azar pelos telefones 190 e 197. “As pessoas precisam entender que esse tipo de jogo é ilegal, portanto, o dinheiro obtido pelos responsáveis só pode ser investido em outras atividades ilegais”.