A Venezuela vai seguir adiante com um corte de produção "voluntário" de 50 mil barris por dia a partir de 1º de outubro, segundo confirmou o ministro de petróleo Rafael Ramirez. "(A Venezuela) vai produzir 50 mil barris de petróleo a menos, com a intenção de suavizar a queda nos preços ao longo das últimas semanas", disse em nota divulgada à imprensa.

Segundo a nota, Ramirez disse nesta sexta-feira (29) ao presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Edmund Daukoru, que a Venezuela planejava implementar o corte.

A Venezuela não especificou qual seu atual nível de produção, mas autoridades venezuelanas afirmam que o país está produzindo em linha com a cota de 3,2 milhões de barris estabelecida pela Opep. No entanto, especialistas do mercado de petróleo dizem que a Venezuela está produzindo pelo menos 600 mil barris por dia abaixo de sua cota depois de anos de disputa política e de falta de investimento.

Na nota, Ramirez disse que há um superávit na oferta global de mais de 500 mil barris por dia. O ministro, que também é presidente da estatal Petróleos de Venezuela (PdVSA), disse que a Opep deve continuar a monitorar atentamente as "variáveis estruturais" do mercado de petróleo, assim como a "tensão política" em andamento. As informações são da Dow Jones.