O nível de utilização da capacidade instalada na indústria de transformação ficou em 82%, em dezembro de 2006, em termos dessazonalizados, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), no levantamento sobre indicadores industriais de dezembro divulgado hoje. O indicador estava em 82,2%, em novembro de 2006 e em 81,7%, em dezembro de 2005.

A CNI destaca que a utilização da capacidade instalada em dezembro é a mesma taxa observada para as médias do quarto e do terceiro trimestres. No entanto, o nível em que consolidou está um ponto porcentual acima da média do índice, entre 2000 e 2006.

De acordo com a entidade, o ritmo de expansão da atividade industrial em 2006 "não parece haver restrições ao crescimento por limitações a ofertas de produtos".

A CNI também avalia que a atividade na indústria pode intensificar o ritmo de avanço no curto prazo, sem provocar pressões de custo às empresas, porque ainda existe "relativa folga" no parque fabril.

Mas ressalta que esta folga não é muito grande, já que a capacidade instalada estabilizou-se acima da média dos últimos anos, o que mostra a necessidade de aumentar o investimento para que o País possa crescer a um grau mais forte.