O programa Scientia que vai ao ar na noite desta terça-feira, 24 de abril, a partir das 19 horas na UFPR TV, é o primeiro do Brasil a fazer parte da grade de programação de duas emissoras universitárias. Produzido pela televisão da Universidade Federal do Paraná, a partir de agora ele passa a ser exibido também pela televisão da Universidade Federal de Minas Gerais.

A possibilidade de realizar a troca de programação é uma vitória da RedeIfes, o sistema desenvolvido pelo professor Carlos Rocha, do departamento de comunicação da UFPR. "A idéia, desde o início, é a de fazer um sistema simples, funcional e muito barato", diz o professor. Pesquisada desde 2003, a RedeIfes passou pelo primeiro grande teste no final de 2006, quando o coordenador da TV UFMG baixou via Internet um programa feito pela UFPR TV. O programa escolhido foi um Scientia que mostrava a pesquisa de toxicologia em peixes. Ele tem 28 minutos e foi baixado em cerca de meia hora. "Fiz o dowload num micro comum e continuei trabalhando nele sem qualquer problema durante o tempo todo", revela o coordenador da UFMG TV, Mário Quinaud.

O principal problema, a compressão necessária para o vídeo-tape ter qualidade de exibição, foi resolvido com o apoio do Centro de Computação Eletrônica da UFPR. O resultado é que hoje na página da RedeIfes há 66 programas à disposição das universidades públicas brasileiras, que podem ser baixados para uso imediato. "Eles ocupam 200 GB do servidor da UFPR, sendo que um micro-computador caseiro moderno vem com 80 GB de memória", conta o engenheiro de redes do CCE, Hugo Fernandes Magalhães.

O tráfego é feito pela Rede Nacional de Pesquisas, um cabo de alta capacidade que interliga todas as universidades federais. "A rede tem 2,56 GH de capacidade, e o trânsito das imagens ocupa apenas alguns MB por segundo, é bem pouco", diz o diretor do CCE, professor José Simão de Paula Pinto.

Com a forma encontrada, cada universidade vai poder colocar seus programas no próprio servidor. "A descentralização barateia o serviço, porque não são necessários grandes equipamentos", avalia o professor Rocha. A gerência de rede é totalmente democrática. "Ela não interfere em nada, não diz o que cada um deve baixar, apenas monitora o tráfego, registra quais os programas mais baixados e as palavras-chave mais procuradas, de forma a gerar informações para a pesquisa."

O sistema operacional da RedeIfes está sendo desenvolvido pelo Programa de Ensino Tutorial de Informática da UFPR. "Nosso desafio é encaixar todas as necessidades das diferentes TVs num sistema único", diz o coordenador do PET-Informática, professor Luciano Silva. Para facilitar a operação, a RedeIfes contará com conversões on-line, de forma que o operador só tenha que fazer alguns cliques para receber os programas. "Quando o software estiver pronto, terá um sistema de busca por assunto, autor ou palavras-chave, e também um pedaço do vídeo em baixa resolução para que os coordenadores das TVs possam ter uma idéia de como é o programa antes de baixar", diz o professor Silva.

A decisão de colocar o programa Scientia na grade da UFMG TV foi tomada pelo diretor do Centro de Comunicação da UFMG, Marcílio Lanas, quando o repórter e editor Eduardo Bettega esteve em Belo Horizonte para fazer as entrevistas do programa que mostra a RedeIfes. Essa reportagem é a primeira parceria também em produção, já que as imagens foram feitas pelo cinegrafista da UFMG, com o equipamento da universidade mineira. "A troca de programação vai ter influências positivas na nossa forma de produzir, aumentando nossas perspectivas de programação", diz Lanas. Para o coordenador da UFPR TV, João Somma Neto, ter mais programas a disposição vai levar a um maior investimento de cada TV na produção de cada um de seus programas. "Vai mudar a face das TVs universitárias brasileiras, que hoje tem como principal problema a produção de qualidade para ocupar o espaço de tempo disponível", diz Somma. Para a assessora de comunicação e marketing da UFPR, Patrícia Favorito Dorfman, o sucesso da RedeIfes representa uma oportunidade especial. "A diversidade de enfoques que será possível apresentar vai levar para a população um maior contato com a produção da universidade pública, que é muito grande e extremamente importante para o Brasil".

Serviço:

Onde: A UFPR TV passa no Canal Universitário, Canal 15 da Net e 71 da TVA.

Quando: Terça-feira, 24 de abril.

Horário da apresentação: 19 horas, com repetição de hora em hora até as 18 horas de quarta-feira, dia 25 de abril.