Pelo menos nove pessoas perderam a vida durante a passagem do mais mortífero tornado de que se tem notícia a atingir o Japão, informou a polícia local hoje. Além das nove pessoas mortas, a passagem do tornado por uma cidade remota no norte do país deixou ainda uma mulher inconsciente e provocou ferimentos em mais de 20 pessoas. Centenas de residências ficaram sem energia elétrica e carros ficaram tombados em Saroma, uma cidade da ilha de Hokkaido. O tornado formou-se por volta das 13 horas locais.

A televisão local exibiu imagens da devastação. Alguns imóveis desabaram, postes caíram e carros ficaram destruídos. A maior parte das vítimas era composta por operários que trabalhavam em um túnel nos arredores de Saroma, informaram autoridades locais. A formação de tornados é relativamente rara no Japão. De acordo com a Agência Central de Meteorologia, o pior tornado antes do de hoje ocorreu há apenas dois meses, quando três pessoas morreram em Kyushu, uma ilha no sul do arquipélago nipônico.

Antes da incidência dos fenômenos deste ano, os últimos tornados a provocar mortes no Japão haviam ocorrido há mais de quatro décadas, em 1961. A Agência Central de Meteorologia revelou que estava estudando as informações disponíveis para determinar a velocidade exata e a causa do tornado.

Segundo a imprensa local, a julgar pelos danos, o tornado foi o mais forte a atingir o país desde a Segunda Guerra Mundial, e seus ventos teriam alcançado a velocidade de 70 metros por segundo, ou mais de 240 quilômetros por hora. Hokkaido é uma das quatro principais ilhas do Japão e no norte do arquipélago. Saroma, a cidade atingida, tem uma população de apenas 6.244 habitantes e situa-se a aproximadamente mil quilômetros a nordeste de Tóquio.