Com uma variação de apenas 0,1 ponto percentual entre outubro e novembro, resultado estatisticamente estável, a taxa de desemprego medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou em 10,6% em novembro, contra os 10,5% de outubro ? interrompendo desta forma uma seqüência de duas quedas consecutivas no indicador.

Já o rendimento médio do trabalhador, que também se manteve estável estatisticamente, passou de R$ 900,20 para R$ 904,70, entre outubro e novembro.

Segundo o IBGE, o contingente de pessoas ocupadas nas seis regiões envolvidas na pesquisa em novembro era de 19,5 milhões, indicando estabilidade em relação a outubro, mas crescendo 3,4% sobre novembro do ano passado. Os homens representaram 56,4% da população ocupada e as mulheres, 43,6%.