Quem passou pela região central de Curitiba no final da manhã desta quinta-feira (25) levou um baita susto. Um tiroteio envolvendo policiais militares e um foragido da Colônia Penal Agrícola (CPA) acabou com o homem, de 31 anos, gravemente ferido na Rua Barão do Rio Branco, próximo à esquina com a Avenida Sete de Setembro, no Centro.

Leia mais! Confronto na Linha Verde tem longa perseguição e suspeito baleado

A ação aconteceu bem ao lado da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), próximo também da Praça Eufrásio Correia. Segundo a Polícia Militar (PM), três homens teriam tentado assaltar uma loja na Avenida Sete de Setembro, mas os policiais chegaram mais rápido e evitaram o roubo. Os assaltantes correram, mas um deles foi encontrado e tentou se esconder num comércio da praça.

Segundo a PM, durante a tentativa de abordagem, o homem teria apontado uma arma para os policiais, que, com o risco de uma possível reação, atiraram. Durante este tiroteio, o suspeito de assalto foi atingido no peito. Ele foi socorrido pelo Siate, encaminhado ao Hospital do Trabalhador e, segundo os socorristas, corria risco de morte.

Palio foi recolhido pela PM. Foto: Colaboração/Amanda Menezes/RPC.
Palio foi recolhido pela PM. Foto: Colaboração/Amanda Menezes/RPC.

Este homem ferido, conforme os policiais, era foragido da CPA e estava junto com os outros dois homens, que conseguiram escapar. Os bandidos deixaram para trás um Palio, que estava estacionado bem em frente à Câmara Municipal. O carro foi guinchado e recolhido pela Polícia Militar e estaria com as placas trocadas, uma vez que seria de Campo Magro e a placa indicava ser de Curitiba.

Por causa do tiroteio, a movimentação de viaturas foi intensa na região. O fluxo de veículos chegou a ser bloqueado por alguns minutos na Rua Barão do Rio Branco, mas logo foi liberado. Nenhum dos policiais se feriu na ação.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Ex-prefeito de Araucária é mantido refém por horas por homens fortemente armados