O abatedouro-frigorífico da Sadia S.A. em Ponta Grossa será definitivamente desativado no dia 14 de abril. Em nota de esclarecimento divulgada ontem, a diretoria da empresa informou que as operações de industrialização de carne serão transferidas para a unidade fabril de Toledo, no Oeste do Estado. A desativação se deve a uma racionalização de operações dos ativos industriais da empresa, que estuda adequar a planta industrial do frigorífico para implantar uma linha de produtos congelados.

Dos 338 funcionários, cerca de 75% serão reaproveitados e os restantes 25% são objeto de estudo visando uma possível transferência. A substituição das atividades com carne suína por produção de industrializados e o reaproveitamento de parte da mão-de-obra foram comunicados no dia 19 de março ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carne e Derivados de Ponta Grossa. De acordo com a Sadia, as atividades dos cerca de 600 produtores integrados à unidade de Ponta Grossa não serão afetadas, já que sua produção será redirecionada para a planta de Toledo.

Desde 1964 no Paraná, a Sadia representa hoje aproximadamente 40% do abate de frangos e mais de 50% do abate de suínos do Estado. Cinco das doze unidades industriais de grande porte estão no Paraná: em Toledo, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Paranaguá e Ponta Grossa. Em 1991, o Estado foi escolhido para a instalação da primeira fábrica de margarinas da Sadia, em Paranaguá e, em 1998, sua primeira fábrica de pizzas prontas congeladas e massas frescas, em Ponta Grossa.