A Procuradoria Geral da República designou os procuradores Gustavo Peçanha e Lívia Tinoco para a investigação que o Ministério Público Federal fará sobre a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa. Segundo a Assessoria de Imprensa do MPF, o trabalho poderá ser concluído entre 20 e 30 dias.

A PGR atendeu o pedido do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que firmou posição do governo de prioridade para a investigação do fato.

Os procuradores vão analisar os documentos encaminhados pelo advogado do caseiro, Wlicio Nascimento, e três representações protocoladas no Ministério Público Federal na tarde de hoje (21) pelo PSDB, PFL e PPS.

Assinaram os documentos, pelo PSDB, o deputado Alberto Goldman (SP). Pelo PFL, o deputado Rodrigo Maia (RJ) e pelo PPS, o presidente do partido, deputado Roberto Freire (PE).