Uma médica identificada apenas como Alexandra foi libertada pelos detentos do presídio Bangu III, no Rio de Janeiro. A rebelião já dura 29 horas e as negociações não avançaram. Já foi cortado o fornecimento de água e luz do complexo penitenciário. Mulheres de detentos iniciaram um tumulto na entrada do presídio, na manhã desta quarta-feira, quando tentavam invadi-lo em busca de informações.

A Dra. Alexandra, como é chamada pelos detentos, está agora responsável pelas negociações. Informações não confirmadas dão conta que os presos estão armados com três pistolas e uma granada. Ao todo, 38 reféns ainda estão em poder dos detentos. Entre eles há agentes penitenciários e agentes profissionais de saúde. Quatro dos reféns estão feridos.

A rebelião no presídio Doutor Serrano Neves, o Bangu III, na zona oeste do Rio, começou nesta terça-feira após uma tentativa frustrada de fuga. Os presos foram impedidos pelos agentes quando tentavam chegar ao portão principal. Conforme a Polícia Militar, dois guardas que trabalham no local e dois presos ficaram feridos. Os detentos teriam sido baleados.(CorreioWeb)