O vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, deve voltar a se reunir nesta terça-feira, 16, com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e da Secretaria de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para tentar avançar nas negociações sobre os ministérios que a legenda deverá ocupar no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Esta será a segunda rodada de negociações sobre o assunto realizada nas últimas 48 horas.

Temer participou de evento sobre Reforma Política na manhã de hoje no Rio de Janeiro, mas já está em Brasília. O encontro com Mercadante e Berzoini tem sido preparado de forma secreta e não consta da agenda oficial de nenhum dos três.

O mesmo aconteceu ontem, quando, segundo pessoas próximas a Temer, ocorreu uma primeira reunião. De acordo com relatos de peemedebistas, que conversaram com o vice-presidente após a reunião de segunda-feira, o impasse está em quais ministérios a legenda deverá ocupar no novo mandato da presidente Dilma.

A demanda do partido é de pastas com “grande calibre”, que tenham projetos com capilaridade em todo o País. Na mira dos peemedebistas estava o Ministério das Cidades, responsável, por exemplo, pelo programa Minha Casa, Minha Vida, uma das principais vitrines do governo. O ministério é comandado atualmente pelo PP. Nas conversas com integrantes do Palácio do Planalto, Temer teria ouvido que a pasta não estava em negociação e que dificilmente seria cedido ao PMDB.

Uma nova opção deverá ser colocada no encontro de hoje. Embora a ocupação das pastas ainda não tenha sido definida, de acordo com os peemedebistas a presidente Dilma já sinalizou que a legenda ficará com seis ministérios no novo governo. Atualmente, o PMDB comanda os ministérios de Minas e Energia, Previdência, Agricultura, Turismo e Aviação Civil. A expectativa dentro da cúpula do partido é que os indicados sejam anunciados ainda esta semana.