O diretório municipal do PT de Curitiba adiou para o dia 27 de junho a palavra final sobre os partidos que farão aliança em torno da candidatura do deputado estadual Angelo Vanhoni a prefeito de Curitiba. No encontro do diretório realizado no final de semana, a ala majoritária garantiu o aval para negociar acordos eleitorais com as siglas aliadas ao partido no plano nacional, o que inclui, entre outros, o PMDB, o PTB e o PP.

As conversas já iniciadas com o PTB dividem o partido, mas o resultado do encontro de domingo permite à ala favorável ao acordo com os petebistas avançarem nas negociações. “Decidimos discutir tudo no próximo encontro porque ainda não tem formalmente nenhuma aliança para ser oficializada”, afirmou Vanhoni.

Segundo o pré-candidato, antes da convenção no final de junho, o partido fará ainda um outro encontro, agendado para 12 de junho, data da convenção do PMDB, o aliado que menos resistências encontra no PT. Apenas uma corrente, que elegeu seis dos 317 delegados ao encontro, condena o acordo com o PMDB.

Já a aliança com o PTB é desaprovada pelo grupo liderado pelos deputados Tadeu Veneri, Florisvaldo “Rosinha” Fier e o vereador Paulinho Lamarca, que juntos representam 83 votos. Há uma segunda chapa, dos vereadores André Passos, Roseli Isidoro e Nilton Brandão, que controla 57 votos e que embora tenha se manifestado contrária à aliança com o PTB, no encontro de domingo, acompanhou a posição dos 164 delegados da ala majoritária, ligados à corrente de Vanhoni e a favor do adiamento da decisão.

Chapa proporcional

Da mesma forma que as alianças, a formação da chapa de candidatos a vereador também ficou para o próximo encontro. O PT depende dos acordos eleitorais para saber quais são as siglas que farão coligação na disputa proporcional e distribuir as vagas. Se fecharem todos os acordos em vista, a estimativa é que, na divisão final, o PT ocupe vinte e cinco do total de setenta vagas à Câmara Municipal.

Vice

A ala do PMDB que defende a aliança com o PT pretende indicar até o final da semana o nome que apresentará para ser o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Vanhoni. O presidente do diretório municipal do PMDB, Doático Santos, afirmou que a escolha deve ser feita antecipadamente para que o partido possa registrar a proposta de coligação com o PT que será votada na convenção do dia 12 de junho.