FHC: palestra e jantar na capital.

Depois de falar sobre “Ética e Política” para cerca de três mil pessoas reunidas no Estação Embratel Convention Center, na noite da última segunda-feira, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso participou de um jantar no Hotel Bourbon com lideranças de seu partido no Paraná, a convite do presidente do diretório estadual, vice-prefeito de Curitiba Beto Richa. Além da bancada estadual e de vereadores, participaram do evento os deputados estaduais Cleiton Kielse (PMDB) e Augustinho Zucchi (PDT).

FHC repetiu ao grupo o que já afirmara durante a palestra: que para dar certo, o Brasil precisa entender que não existem milagres na economia e parar de fazer zigue-zague, fixando um rumo para o desenvolvimento. Bons resultados, frisou, são fruto da perseverança. Falou sobre o governo do PT e demonstrou preocupação com o futuro do país. Mas se mostrou otimista em relação a vitória de José Serra na disputa pela Prefeitura de São Paulo.

Fortalecimento

Sobre o Estado, Beto Richa e Hermas Brandão apresentaram um panorama da atuação partidária com o fortalecimento da sigla no maior número possível de municípios. O presidente do diretório municipal de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso, fez um relato do atual cenário da sucessão. Beto Richa explicou ao presidente de honra do partido como está viabilizando sua candidatura, os entendimentos em torno de alianças, os contatos nos bairros e a instalação dos núcleos de base partidários. Resumiu as propostas de governo e a experiência nos períodos de interinidade frente à Prefeitura com resultados que considerou positivos.

FHC recordou o amigo José Richa, morto no ano passado: “Aquele jeito simples fez dele um grande líder”, frisou. Para ele, “a sociedade exige transparência e está vigilante à procura de representação, não aceitando mais o político milagreiro”.

O ex-presidente expressou convicção na vitória do PSDB em Curitiba, afirmando que o sucesso das urnas passa principalmente por uma campanha limpa, de idéias e compromissos com o eleitor. Fernando Henrique se comprometeu a ajudar com idéias e projetos do plano de governo do pré-candidato tucano.

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Hermas Brandão gostou do encontro. Disse que o ex-presidente é uma “figura sedutora” e que, aos 72 anos, “parece uma aroeira”. Brandão comentou ainda que, na conversa com FHC, ele demonstrou otimismo em relação ao desempenho do partido nas eleições municipais deste ano e fez uma análise do quadro nacional. Mas seu entusiasmo maior é dirigido ao instituto que acaba de criar em Sâo Paulo. Aos jornalistas, FHC garantiu que não pensa em nova candidatura, mas negou que pretenda se afastar da política.

Para Ciro, Serra foi omisso

Brasília (AE) – O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, afirmou ontem que o ex-ministro da Saúde, pré-candidato a prefeito de São Paulo e presidente nacional do PSDB, José Serra, foi omisso com o esquema de fraudes na compra de hemoderivados revelado pela Operação Vampiro. Ciro defendeu uma ampla investigação nas compras de todos os remédios para o Ministério da Saúde feitas entre 1998 e 2002, período em que Serra comandou a pasta.

“Esse caso é a evidência caricata do blefe que é a administração Serra”, disse o ministro.

Habeas

Também ontem, a defesa do empresário paulista Marcelo Pupkin Pitta entrou no Superior Tribunal de Justiça com um processo de habeas-corpus com pedido de liminar para que seja imediatamente posto em liberdade. O empresário se encontra preso na carceragem do Departamento de Polícia Federal em São Paulo, desde o dia 19 deste mês, acusado de integrar a chamada “Máfia do Sangue”.