A pedido do PT, o corregedor-geral eleitoral, Aldir Passarinho, suspendeu hoje a veiculação de inserções do Democratas na Bahia. Na representação protocolada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o PT sustentou que o DEM e o candidato à Presidência da República apoiado pelo partido, José Serra (PSDB), teriam usado o espaço reservado à propaganda partidária para fazer propaganda eleitoral.

Conforme a jurisprudência do TSE, a propaganda partidária deve servir para divulgar as ideias, plataformas e realizações dos partidos, não a candidatura de políticos. E, de acordo com a legislação, a propaganda eleitoral não pode ser feita antes de 6 de julho.

Aldir Passarinho observou que duas das inserções exibidas contavam exclusivamente com a locução e a imagem de José Serra, que não pertence ao DEM. De acordo com o corregedor, nenhum integrante do DEM aparecia na propaganda.