Depois de quatro quedas consecutivas, a avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva estabilizou em 34,6%, exatamente o mesmo índice registrado em março. De acordo com a 69ª pesquisa CNT/Sensus, divulgada hoje pela Confederação Nacional dos Transportes, a avaliação pessoal do Presidente da República registrou uma pequena melhora, passando de 59,6%, em março, para 60,2%, em maio.

A avaliação regular subiu de 42,7% para 43,5%, enquanto a negativa (pessoas que consideram a administração ruim ou péssima) passou de 19,4% para 20%. Para os entrevistados, os principais problemas do país continuam sendo o desemprego, com 41,3%, e a violência, com 36,0%.

A pesquisa registrou uma ligeira recuperação no índice de Satisfação do Cidadão (ISC), que fechou o mês de maio em 50,60 pontos, após ter registrado, em março, o nível mais baixo desde a posse de Lula (49,90%). Este índice é obtido de acordo com a satisfação dos entrevistados com o país, com o estado, com o município e com sua situação pessoal. Os números também indicam estabilidade nos quesitos situação social e situação econômica pessoal.

Segundo o presidente da CNT, Clésio Andrade, os índices de popularidade do Presidente da República de 34% positivo e 20% negativo, atingiram o chamado ponto crítico. ?O presidente está entre duas situações importantes. De um lado, há uma pequena retomada da economia e da área social, e de outro, há um agravamento muito sério nas questões do desemprego e da violência?.

De acordo com Andrade, se houver uma forte recuperação da economia nos próximos meses, o presidente pode recuperar e melhorar seu patamar de popularidade, mas, se as questões negativas se agravarem, ele pode entrar novamente em um processo de queda como vinha ocorrendo nos últimos meses.