Jornal do Oeste
A tempestade deixou um rastro de destruição.

Ventos fortes e chuva de granizo atingiram, na madrugada de ontem, dois municípios da região Oeste do Paraná. Em apenas dez minutos, a tempestade deixou 2 mil residências danificadas, 120 desabrigados e feriu levemente 36 pessoas no município de Cafelândia. Em Toledo, o fenômeno deixou uma pessoa morta e outra gravemente ferida, que está internada no Hospital Bom Jesus. De acordo com a Defesa Civil, a vítima registrada é um homem de 39 anos, que morava na zona rural.

Em Toledo, os principais danos foram causados na zona rural, principalmente nos distritos de Vila Ipiranga e Dois Irmãos, com quedas de árvores e torres de energia, além do prejuízo nas plantações e granjas da região. Os prejuízos com a tempestade, de acordo com a Defesa Civil, só devem ser totalizados na sexta-feira, por causa do difícil acesso das equipes de levantamento na zona rural. “É um procedimento normal, mas que demora alguns dias”, informou o tenente Maurício Genero.

Em Cafelândia, a cerca de 500 quilômetros da capital, os ventos da tempestade chegaram a 90 quilômetros por hora. Segundo informações da Defesa Civil, as pessoas feridas levemente tiveram contato com o granizo durante a tempestade ao tentarem salvar suas casas. A distribuição de lonas plásticas e improvisação de abrigos também já foram feitos, conforme informou a Defesa Civil. A regional de saúde da cidade está acionada desde a madrugada de ontem para atender todos os casos da região. “Entramos em contato com a nossa regional, em Cascavel, e deixamos em alerta todas as equipes, caso o quadro seja ampliado pelas chuvas que ainda caem nas cidades”, completou o tenente.

Tempo

Segundo o Instituto Tecnológico Simepar, a tempestade foi causada por mais uma frente fria vinda do Sul do Paraguai e que ganhou força quando entrou em território brasileiro. De acordo com o meteorologista Fernando Mendonça, o forte temporal foi um fato localizado. Ele também ressaltou que o calor e a umidade, que favorecem a formação de tempestades, ainda estão próximos da região. “O tempo no Oeste continua instável e ainda há riscos de novas tempestades e de ventos fortes”, revelou. Fernando ainda informou que, por esses fatores ainda estarem presentes, o alerta nas cidades deve ser constante para que outros prejuízos não ocorram. “O evento teve proporções significativas. Todos devem ficar atentos com novas chuvas”, destacou o meteorologista.

Energia

Segundo um comunicado da Companhia Paranaense de Energia (Copel), os fortes ventos da madrugada também derrubaram dez torres de transmissão em Cafelândia e tirou de operação a linha de 138 mil volts que liga as subestações de Cascavel e Assis Chateaubriand. Quatro torres da linha de transmissão de 230 mil volts – pertencente à Eletrosul – que interliga as subestações Cascavel Oeste e Guaíra, ambas da Copel também caíram – uma delas sobre a PR-467, no trecho entre Toledo e Marechal Cândido Rondon.

A queda das linhas de transmissão na região não afetou o abastecimento de energia, devido à existência de linhas de suprimento alternativas. As redes rurais dos municípios de Marechal Cândido Rondon, Pato Bragado, Quatro Pontes, Toledo, Assis Chateaubriand, Tupãssi e Cafelândia também foram atingidas pela tempestade. Os fortes ventos também derrubaram aproximadamente 90 postes das redes de distribuição de energia na área rural e interromperam o fornecimento para cerca de 30 mil consumidores.

Praticamente todo o sistema elétrico da região atingida foi recomposto pela Copel ainda durante a madrugada, com exceção da rede que atende o frigorífico de aves da Copacol, em Cafelândia, e de linhas rurais que dependiam da substituição de postes avariados.