A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, através do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), finalizou na noite da última quinta-feira a primeira ação integrada de fiscalização em alto-mar, em parceria com o Estado de São Paulo. O principal objetivo da operação foi fiscalizar a pesca de arrasto do camarão, que está proibida até o dia 31 de maio.

Durante três dias, sete equipes do IAP e órgãos ambientais de São Paulo percorreram toda a extensão do litoral paranaense (80 quilômetros), desde a divisa com Santa Catarina até o limite com São Paulo, incluindo o Parque Nacional de Superagüi, Parque Estadual da Ilha do Cardoso, canais e lagunas. Além do trabalho em alto-mar, 40 fiscais fizeram por terra inspeção em pontos de embarque e desembarque e locais de comércio de pescado. Foram abordadas 87 embarcações e 42 locais de comércio.

No primeiro dia de fiscalização, em apenas uma autuação, foram aprendidos 225 quilos de camarão branco, 40 quilos de peixe e uma embarcação de grande porte. No total, foram lavrados 12 autos de infração por atividade ilegal – pesca durante o período de defesa do camarão, não permitindo a sua reprodução.