Um grupo de mulheres de Ponta Grossa resolveu dar um destino melhor para sacos de ráfia usados por moinhos de trigo e que iam parar no lixo. Elas começaram a produzir sacolas retornáveis.

A iniciativa deu tão certo que as mulheres criaram a Associação para Produção de Sacolas Retornáveis, e hoje também utilizam como matéria-prima banners e lonas de caminhão. O projeto de Ponta Grossa é apenas uma das iniciativas que estão sendo apresentadas durante a 1.ª mostra Nós Podemos Paraná, em Curitiba.

O evento, realizado em conjunto com a 7.ª Mostra Ação Voluntária, tem o objetivo de apresentar iniciativas que contribuem para o cumprimento dos Objetivos do Milênio (ODM) no Paraná.

O Brasil, em conjunto com 191 países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU), assinou há cerca de seis anos um compromisso para melhorar a sustentabilidade do planeta.

São oito objetivos que devem ser atingidos até 2015. Para que isso aconteça são estimulados a promover ações conjuntas, o governo, empresas e organizações sociais. O Paraná pretende cumprir os ODM até 2010.

E as ações para isso são articuladas no Estado pelo movimento Nós Podemos Paraná, entidade ligada à Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). De acordo com a coordenadora do movimento, Maria Aparecida Zago Udenal, desde 2006 foram realizados 50 círculos de diálogos em todo o Paraná, envolvendo mais de 10 mil pessoas, para propor ações que visam mobilizar a sociedade no sentido de buscar a transformação. A mostra também está abordando a educação para a sustentabilidade, que segundo Maria Aparecida, está implícita na vida de todo o cidadão.

Saldo positivo

De um modo geral, o Paraná está dentro do desejável no que diz respeito ao cumprimento dos Objetivos do Milênio (ODM). Alguns áreas ainda carecem de mais atenção, como a redução dos casos de HIV/aids e da mortalidade materna.

De acordo com o estatístico do Observatório Regional Base de Indicadores de Sustentabilidade (Orbis), Alby Duarte Rocha, a meta para a mortalidade materna é reduzir os índices em 75%, e o Estado atingiu 37%.

Já na redução de mortalidade infantil o Paraná está próximo do objetivo que é de 66,7%, e alcançou 56%. Em relação à reversão do crescimento dos casos de aids, o Estado mostrou uma tendência de queda até 2003, mas voltou a ter mais diagnósticos positivos depois desse período.