O governo prometeu apresentar até o próximo dia 20 a proposta para a equiparação salarial dos professores e agentes das universidades estaduais do Paraná. O acordo foi definido ontem, depois da manifestação que teve a adesão de oito mil professores e paralisou as atividades nas instituições de ensino superior paranaenses.

Os protestos chegaram à cidade, onde cerca de mil professores e agentes universitários fizeram passeata pelo centro da cidade. A principal exigência dos professores era que o governo apresentasse proposta para a equiparação salarial com os técnicos em 31,73%, que seria paga em três parcelas de 9%, em 2012, 2013 e 2014. A primeira parcela estava agendada para fevereiro, mas não foi pago. “Queríamos saber se a proposta da equiparação salarial ainda estava em pauta”, afirmou o presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região (Sindiprol/Aduel), Nilson Magagnin Filho.

Acordo

Os manifestantes foram recebidos pelo secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal, que fez o acordo com os professores. O secretário afirmou que um grupo de trabalho foi criado para avaliar a proposta. “Outras reivindicações das universidades, como a reposição do quadro funcional e o repasse das verbas de custeio, por exemplo, estão resolvidas”, afirmou Leal.

Para a presidente do Sindicato dos Técnicos e Professores da UEPG (Sintespo/UEPG), Cíntia Xavier, a definição de uma data para apresentação das propostas ainda não resolve o problema dos docentes.