Ataques aéreos promovidos por Israel contra a Faixa de Gaza provocaram a morte de pelo menos sete militantes do grupo islâmico Hamas, sendo cinco no sábado e dois nas primeiras horas de domingo, informaram autoridades locais.

Israel promoveu os bombardeios depois de militantes do Hamas terem detonado dois jipes repletos de explosivos em um entroncamento na fronteira. Treze soldados israelenses ficaram feridos na explosão.

O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, visitou o local do ataque promovido no sábado pelo Hamas e advertiu que o grupo islâmico "sofrerá as conseqüências".

Apesar disso, uma ofensiva imediata parece improvável, uma vez que Israel celebra atualmente o Pessach, a Páscoa judaica, e em maio comemorará os 60 anos da fundação do país, evento que contará com a presença do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

O braço armado do Hamas reivindicou o ataque de ontem contra o entroncamento de Kerem Shalom e informou que a ação faz parte de uma campanha para levantar o bloqueio total imposto por Israel há quase um ano, pela força, se necessário.

Israel e o Egito praticamente fecharam todas as saídas de Gaza em junho do ano passado, quando o Hamas assumiu o controle total do território após violentos combates com a facção rival Fatah.

Antes disso, Israel já mantinha total controle sobre as fronteiras terrestres, as águas territoriais e o espaço aéreo de Gaza.