O ministro colombiano de Defesa, Juan Manuel Santos, anunciou nesta sexta-feira (14) que o governo pagará recompensa ao ex-guerrilheiro Pablo Montoya, o Rojas, que matou seu comandante, Manuel Jesús Muñoz, mais conhecido como Iván Ríos, um dirigente do alto escalão das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Ele receberá uma importante soma por fornecer informação estratégica", disse. De acordo com o ministro, a recompensa é de 5 bilhões de pesos (quantia equivalente a R$ 4,75 milhões) e será dividida entre o ex-guerrilheiro e outros três informantes.

O Ministério da Defesa informou que Pablo Montoya era o chefe de segurança de Iván Ríos, de 46 anos, um dos sete integrantes do alto comando das Farc. De acordo com a versão oficial, Montoya se entregou ao Exército colombiano em 6 de março e, para provar que havia matado seu chefe e que realmente se tratava do comandante rebelde, cortou e entregou aos militares a mão direita de Ríos. O ministério não revelou quando a recompensa será paga.