As tropas do governo sírio assumiram novamente o controle de duas bases militares há tempos controladas pelos rebeldes, matando pelo menos 21 membros da oposição, informou o Observatório Sírio para Direitos Humanos neste domingo. “As forças do regime conseguiram levantar o cerco dos campos militares de Wadi Deif e Hamdiya. O Exército atacou os rebeldes por trás”, afirmou o grupo ativista.

Pelo menos 21 rebeldes foram mortos no ataque, que se concentrou no vilarejo de Babulin. “As tropas agora controlam as áreas em ambos os lados da rodovia Damasco-Aleppo”, reabrindo a rota de suprimentos ao Exército, disse o diretor do Observatório, Rami Abdel Rahman. Segundo ele, dois caminhões militares carregando suprimentos e soldados foram vistos passando pela região pela primeira vez em meses. A área é próxima da cidade estratégica de Maaret al-Numan, que começou a ser controlada pelos rebeldes em outubro.

O grupo ativista afirmou também que aviões da força do governo de Bashar Assad estão atacando rebeldes em todo o país. Pelo menos 16 pessoas morreram após ataques aéreos a um vilarejo curdo na província de Hasakeh, no nordeste da Síria. “Neste domingo, 16 pessoas morreram após um avião mirar no vilarejo de Haddad, que é de maioria curda, incluindo pelo menos três crianças e duas mulheres”, disse o Observatório. A violência na Síria matou 138 pessoas no sábado (13), segundo um levantamento do Observatório. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.