O Custo Unitário Básico (CUB) da construção civil calculado pelo Sinduscon-PR (Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná) foi reajustado em 2,03% no mês de novembro. A alta do CUB-PR reflete o aumento médio de 4,46% nos preços dos materiais da construção civil, o maior reajuste verificado nos últimos quatro anos. O custo da mão-de-obra permaneceu inalterado. O índice de inflação, medido pelo IGP-M da Fundação Getúlio Vargas, ficou em 5,19% no mesmo período.

Os materiais – que hoje representam 47% na composição do custo da construção – tiveram reajustes significativos nos últimos meses, explica o presidente do Sinduscon-PR, Ramon Andres Doria. A alta do dólar, segundo analisa o empresário, sinalizou para a disparada nos preços do aço, cimento e produtos que utilizam insumos importados – como o fio de cobre, materiais de eletricidade, produtos de PVC, alumínio, vidro e tintas. “Não há espaço para o setor absorver tantos aumentos”, diz Doria.

Segundo a pesquisa o vidro 4 mm subiu 6,51% no mês de novembro e acumula o maior reajuste no ano: 44%. O cimento subiu 6,20% e o aço para concreto 6,67% no mês de novembro. Também tiveram reajustes significativos o azulejo 15 x 15 cm (13,57%), o fio de cobre (9,52%), compensado (8,70%), produtos de alumínio (8,37%), entre outros. No ano, o cimento acumula reajuste de 21,14% e o aço CA-50 atinge 18,52%.