Recife – Uma solenidade militar, aberta com a execução do Hino Nacional e encerrada com a confraternização com os familiares marcou a despedida do terceiro grupo de militares brasileiros que embarcou hoje (1º), na Base Aérea de Recife para integrar o 5º Contingente de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti.

A tropa é formada por 280 homens de unidades militares dos estados de Pernambuco, Bahia, Paraíba e Alagoas e vai permanecer no Haiti até dezembro.

Entre as equipes, encontram-se médicos, dentistas e até um padre. O trabalho dos militares é manter a ordem pública em um país pobre, que enfrenta problemas de violência urbana por causa de uma crise política que se originou no governo do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide, deposto em 2004, após um período de revolta popular.

Com a eleição de um novo presidente, René Preval, em fevereiro deste ano, a situação do Haiti vem se estabilizando, mas o pior problema ainda é a atuação de gangues armadas nas ruas.

Segundo o comandante militar do Nordeste, general Eron Carlos Marques, a atuação das tropas brasileiras no país caribenho tem sido vitoriosa. "Desta vez, o trabalho vai incluir pacificação de áreas de conflito, o policiamento de ruas, a segurança de autoridades, o bloqueio de estradas, a proteção da população, o controle de trânsito e a reconstrução de rodovias", disse ele.

O sargento Márcio Teixeira, da Bahia, afirmou que o efetivo está preparado para a garantir a paz, mesmo que em algumas situações seja necessário usar a força. "Os maiores desafios que iremos enfrentar são a saudade dos familiares e as preocupações com o que estará acontecendo aqui".

Os militares viajaram em quatro aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). O último dos quatro embarques de tropas nordestinas para o Haiti este ano está programado para segunda-feira (5).