Foto por: Christophe Simon

O armador brasileiro Kaká não conseguiu ser aprovado no teste norte-coreano, nesta terça-feira, na vitória do Brasil por 2 a 1 em sua estreia na Copa do Mundo, reavivando as dúvidas geradas após sua discreta temporada na Liga Espanhola pelo Real Madrid.

O ex-jogador do Milan foi, sem dúvida, o mais aplaudido no Ellis Park de Johannesburgo no anúncio das escalações, mas não pôde corresponder a sua reputação na grama, mostrando uma imagem muito diferente da apresentada na Copa das Confederações de 2009, também disputada na África do Sul.

“Estou preparado para ser um dos líderes da seleção, ainda que a equipe já tenha muitos líderes, tanto técnicos como táticos”, havia afirmado Kaká pouco antes da Copa, concentrando-se para superar uma má temporada, onde não justificou os 65 milhões de euros pagos por seu passe.

Kaká iniciou a preparação para a África do Sul com problemas na perna esquerda, mas parece já ter recuperado sua forma física. Entretanto, até o momento não lembrou o craque que encantou o mundo em 2007 e que arrasou nos prêmios individuais (Bola de Ouro e Fifa World Player) daquele ano.

No duelo entre o pentacampeão brasileiro e o time mais desconhecido entre os 32 que disputam a Copa, Kaká teve problemas para dinamizar o jogo ofensivo de sua equipe, chocando, vez por outra, contra a férrea muralha asiática.

Foi impreciso, inclusive, sem a intervenção dos adversários, com um passe muito longo para Elano (22) ou com constantes faltas de coordenação com outros companheiros.

Kaká tentou se mover com certa liberdade pelo campo, em busca da bola, mas não conseguiu salvar uma noite ruim.

O gol de Maicon tranquilizou o Brasil, mas as coisas não mudaram para o jogador do Real Madrid.

Finalmente, Dunga decidiu substituí-lo perto do fim, aos 33, por Nilmar, e o jogador chegou ao banco com um grande sorriso no rosto abraçando todos seus companheiros, sabendo que o importante em uma Copa não é como ela começa, e sim como termina.

O Brasil tem sua próxima partida no domingo contra a Costa do Marfim, em um duelo onde já pode conquistar matematicamente uma vaga para as oitavas-de-final. Para Kaká, será uma nova oportunidade, apesar de ter de enfrentar zagueiros mais experientes.