Os jornais econômicos argentinos destacaram hoje as eleições brasileiras e deram ênfase à ausência do presidente e candidato Luiz Inácio Lula da Silva ao debate realizado ontem à noite. Com uma foto do presidente e candidato Lula e eleitores no centro de sua capa, o La Nación traz a seguinte manchete: "Confiante, Lula encerrou campanha sem debater".

O periódico destacou a ausência do presidente no evento de ontem descrevendo a estratégia do candidato para não enfrentar seus rivais no debate, que "parecia arriscadíssimo". "Um candidato com 53% dos votos válidos não se arrisca a ir a um debate em que uma simples frase fora de lugar lhe faria perder a possibilidade de vencer em primeiro turno; muito menos com os demais candidatos enumerando uma catarata de denúncias de corrupção contra o governo e o Partido dos Trabalhadores (PT), a maioria delas de difícil explicação.

O Clarín deu destaque também para a falta de Lula. Afirma que, "como ocorreu no México há três meses, agora também a oposição no Brasil pretende impugnar um resultado eleitoral pela via legal". Com o cuidado de observar que "os cenários são diferentes", o jornal afirma que a "intenção é a mesma". "No México, a centro-esquerda de Andrés Lopez Obrador perdeu 0,56% dos votos e denunciou uma fraude. No Brasil, por outro lado, Lula da Silva ganharia por mais de 15 pontos do candidato da direita. Mas o que importa, no entanto, é o sinal político que se dá: vale tudo para conseguir o poder, inclusive quando as urnas ordenaram o contrário".

A cobertura mais ampla foi do Ámbito Financiero, com seis reportagens, nas quais qualificam Geraldo Alckmin como "economista eficiente" e citam o "fervor popular e carisma" de Lula. O El Cronista ampliou sua cobertura para duas páginas, com uma chamada em sua capa: "Lula é o favorito na eleição em Brasil". Além de reproduzir material de agências e jornais, Cronista publicou um texto próprio sobre a preferência dos empresários pelo candidato Alckmin.

O Infobae buscou diferenciar-se com uma reportagem sobre os fundos argentinos que voltaram a investir no Brasil, principalmente às vésperas das eleições, quando os resultados das pesquisas garantem a vitória de Lula no primeiro turno. Infobae também publica texto sobre "os pontos que Lula perdeu nas pesquisas, mas mesmo assim estas lhe garantem triunfo sem segundo turno".

O Página 12 publicou duas páginas sobre a eleição no Brasil. Em uma, o destaque é para "Heloisa Helena, a pedra na bota do presidente"; em outra, a reportagem principal é sobre o fechamento da campanha de Lula "em casa", além da cadeira vazia no cenário do debate.