O representante da FAO no Brasil, Jose Tubino, disse hoje que a participação da organização no Projeto Fome Zero, anunciado pelo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pode se dar pelo desenvolvimento de políticas de geração de emprego e renda no campo.

Segundo Tubino, há a disposição da FAO _órgão das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, que atua no combate à fome no mundo_em intermediar o contato do país com outras organizações internacionais que possam contribuir financeiramente com o projeto, além de destinar recursos próprios a fundo perdido para o combate à fome no Brasil.

Os representantes da FAO, segundo Tubino, estão aguardando apenas o anúncio da equipe de transição para detalhar sua participação no projeto, inclusive, o volume de recursos que pode ser destinado ao país. Ontem, o diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, telefonou para Lula e firmou o compromisso em ajudar o novo governo.

Na próxima terça-feira, um técnico do escritório regional da organização, com sede no Chile, estará no Brasil e deve se encontrar com o professor José Graziano, um dos integrantes da equipe de transição, para começar a discutir o assunto. “Ainda estamos definindo o papel que a FAO terá, mas há o compromisso em contribuir com o programa [Fome Zero]”, disse Tubino. A FAO já desenvolve programas no Brasil em parceria com o atual governo no apoio à agricultura familiar e aos assentados rurais.

Para Tubino, o Projeto Fome Zero pode ser um “sinal que o Brasil pode dar na luta contra a fome” e servir de estímulo a outros países para o lançamento de programas mais amplos para o combate à fome.

Segundo ele, as críticas que o projeto vem recebendo são de pessoas que “não estão entendendo bem o programa”. Para Tubino, a adoção temporariamente de cupons, que são trocados por alimentos, é uma forma de aumentar o consumo de alimentos básicos para a população mais pobre.

Segundo ele, estimulando o consumo de alimentos locais, como prevê o projeto, há a valorização da produção agrícola familiar e com isso a oportunidade de gerar emprego e renda.

Tubino participou do lançamento do Projeto Fome Zero, em 16 de outubro de 2001, no Dia Mundial da Alimentação, quando recebeu de Lula uma cópia do projeto. Segundo o representante, o documento foi enviado a sede da organização em Roma. A FAO foi criada em 1945 com o objetivo de diminuir a pobreza e a fome da população, melhorar a produção agrícola e as condições de vida da população rural. Atualmente, a organização reúne 183 Estados membros. (Correio Web/FolhaNews)