O déficit no orçamento da zona do euro diminuiu no ano passado para 6,0% do Produto Interno Bruto (PIB) da região, em comparação com os 6,3% de 2009, segundo cálculos divulgados hoje pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. A zona do euro reúne os países que utilizam o euro como moeda.

Na União Europeia como um todo, o déficit em 2010 foi de 6,4%, um porcentual menor que os 6,8% de 2009. No entanto, o déficit orçamentário da Grécia superou o previsto. A Eurostat informou que o déficit no orçamento da Grécia em 2010 foi de 10,5% do PIB, um resultado bem maior que o esperado tanto pelo governo grego quanto pela Comissão Europeia. O governo calculava déficit de 9,4% do PIB e, em fevereiro, a Comissão Europeia – braço executivo da União Europeia – previu déficit de 9,6% em 2010 e de 7,6% em 2011.

O cálculo da Eurostat vai acentuar a pressão para que a Grécia reduza seu déficit neste ano para cumprir as metas estabelecidas pelo programa de resgate recebido da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI). A Eurostat revisou o déficit orçamentário grego de 2008, de 9,4% para 9,8%, e informou que a dívida total do governo da Grécia era de 142,8% do PIB do país no fim de 2010, a maior da União Europeia.

Não foi a Grécia, porém, o país que teve o maior déficit no orçamento no ano passado, mas sim a Irlanda. O país, que também recebeu ajuda internacional, registrou déficit de 32,4% do PIB. Em fevereiro, a Comissão Europeia havia previsto déficit de 32%. O déficit de Portugal foi de 9,1% em 2010, segundo a Eurostat. O governo português, que está negociando um socorro financeiro da União Europeia e do FMI, revisou seus próprios cálculos sobre o déficit de 2010 durante o último fim de semana, para 9,1%, ante a estimativa anterior de 8,6%. O déficit no orçamento da Espanha em 2010 foi de 9,2%, atendendo à meta do governo anunciada no mês passado. As informações são da Dow Jones.